Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

[Sentires] Exorcizar Demónios da Mente

 Dizemos sempre que se deve agir fora das nossas zonas de conforto, que devemos desafiar as rotinas e inovar, afinal, há um mundo maravilhoso por trás daquela porta que nunca ousámos abrir e lá também acontecem coisas boas, desse lado também encontraremos felicidade e quem sabe, uma versão melhor de nós mesmos. Eu acredito nisto. Eu acredito que sair da estrada rotineira pode ser fantástico, que fazer diferente do que já fazemos nos pode mostrar o caminho que é nosso. Mas com isso vem exposição, vulnerabilidade. E por vezes, somos tão adversos às mudanças e novidades de lugares e pessoas, que mesmo que tenhamos idealizado toda uma experiência de sucesso na nossa cabeça, há algo que falha quando tentamos concretizar.

 

 Nunca gostei de mudanças, sempre me deram dores de estômago daqui até ao céu. E sou socialmente estranha, essa é a verdade. Adoro estar aqui, a escrever sobre e para pessoas, numa vontade que aquilo que eu escrevo lhes seja útil, que lhes toque, que lhes ensine algo, porque é a escrever que eu me expresso melhor. Pessoalmente, por vezes as emoções tomam conta do meu discurso: choro compulsivamente e gaguejo, sem conseguir transmitir o que quero. Sempre fui assim, desde que me lembro. Sempre me senti mais segura no meu canto, no meu casulo. 

 Por vezes faço um esforço, o ano passado fui ao Bloggers Camp mesmo por isso e não foi fácil para mim mas consegui sair de casa e ir. Mas conversar à vontade com pessoas e conviver não foi assim tão fácil. Lembro-me de ter tido um momento muito groupie com a Helena mas também me lembro que com a quantidade de informação que ela me dava e eu dizia que tinha visto nalgum feed dela ou no seu blog, eu poderia parecer algo stalker. Eu vou vendo as coisas e pessoas através do meu computador e retenho algumas delas na memória, o que me faz parecer ainda mais estranha que aquilo que já sou. E isso é um handicap, este teres noção de não comunicares assim tão bem e o refreio que metes para não parecer obcecada quando na realidade nem és, apenas tens uma mente diferente.

 

 Eu hoje ia sair de casa. Ia a um evento em Lisboa que me iria ocupar a manhã e me ia retirar da minha zona de conforto. E eu queria ir. Preparei a roupa, arrumei tudo bonitinho, idealizei os acessórios, o batom que ia usar. Na minha cabeça eu vi-me a sair de casa, a apanhar o comboio e a entrar no hotel, a cumprimentar a anfitriã. Eu convenci-me que, dado que ir à Expocosmética desta vez tinha ficado sem efeito, eu precisava na mesma de sair de casa sem ser para ir ao super ou trabalhar. Mas quando chegou a hora, o meu corpo não respondeu ao meu cérebro e levou-o a ter um episódio irreal.

 

 Tive um ataque de ansiedade. Aos nervos que sempre antecedem um dia mais madrugador, que eu funciono bem é de noite, juntou-se um mal estar no estômago, uma bexiga minúscula, um formigueiro nas mãos. As minhas mãos nunca suaram nestas ocasiões, é sempre à base de não saber o que fazer com elas, como se não pertencessem ao resto do corpo. Suar é no couro cabeludo. Estes sintomas físicos atacam o meu cérebro e aí vem um medo irracional de sair para o mundo, como se as escadas se fossem desintegrar ao meu passar, como se o comboio pudesse descarrilar, como se eu não fosse passível de pertencer ao ambiente a que me ia expor. E eu fecho-me, desligo, não consigo andar. Eu não consegui sair de casa. 

 

 E depois vem a culpa e a vergonha. Ondas avassaladoras de culpa em deixares que isto aconteça e de vergonha de teres faltado à tua palavra. Quando eu falto ao trabalho por exemplo, mesmo sendo por estar doente, eu sinto-me culpada, não é algo que faça de ânimo leve, porque considero ser meu dever ir trabalhar. E a vergonha é uma bola de neve porque em um primeiro acto te faz retrair mas a seguir também te leva a esconderes-te nela, aumentando a cada momento a dificuldade de espreitares cá para fora. 

 

 Já há muito tempo que não tinha um ataque de ansiedade. De forma geral tenho andado mais em baixo e isso deve ter facilitado. Pequenas coisas juntam-se e levam-te com elas.

 Mas estou aqui, meia dúzia de horas depois, a espetar a minha cabeça de fora desta culpa e vergonha, que eu sei que não são reais ou racionais, embora não as sinta menores por causa disso. Estou aqui, a respirar fundo e a fazer o que posso para não chorar, pelo menos muito. Estou aqui, a expor-me (que é tão fora da minha zona de conforto!) e a enfrentar os meus demónios, tentando exorcizá-los enquanto lamento todas as experiências que não cheguei a viver. Aqui, a dizer a mim e a ti, que eu sei que não sou única neste sentir, que para a próxima havemos de ser bem sucedidas, vai correr melhor.

 

 E se eu consigo fazê-lo, tu também poderás. Pelo menos tentamos.

 

self.jpg

 

[Sentires] #Viveatuabeleza

 Se olhares em redor, vai-te parecer que o #ViveatuaBeleza (conhece o projecto/movimento AQUI) foi elencado por mulheres bonitas e com massas corporais tidas como "normais" ou mais dentro do que o conceito de normal é encarado. No entanto, vais perceber também, ao ler as suas histórias, que essas mulheres já se depararam com factos acerca dos seus corpos com os quais tiveram de aprender a lidar. Isso tem de te dizer a ti, que não estás feliz no corpo em que vives, que todas nós somos passíveis de dias e fases menos boas para connosco mesmas, que todas temos as nossas inseguranças e que esses sentimentos não são exclusivamente teus.

 

 Às vezes dá vontade de gritar, eu sei, sentes um misto de fúria e frustração imensa dentro de ti e não tens em quem te apoiar, com quem te relacionar, parece que não há quem te represente. E sentes que os teus queixumes são vãos, que os teus defeitos são maiores do que realmente são. Então respira fundo.

 

 Quando o meu corpo mudou da primeira vez, foi o reflexo de uma queda psicológica. Ajustei-me como pude, desenrasquei-me e esgravatei para fortalecer-me mas fechei-me. Em mim e em casa. E depois, quando saí à rua a primeira vez, eu tropecei algumas vezes: tinha esquecido como se andava. 

 Ao longo do tempo o meu corpo andou quase sempre na mesma, umas vezes perdia peso e noutras ganhava, não fazia nada para isso, eram as turbulências da vida, tal como acontece com qualquer mortal. 

 Quando me escangalhei pelo chão e fiz do meu tornozelo, pó, passei de alguém que se mexia bem e depressa para alguém que se andar de uma ponta à outra do Colombo, quase não consegue andar no dia seguinte. Claro que o meu peso aumentou, era natural com a mudança bruta de hábitos e de funções no local de trabalho.

 

 Compreende, estou a explicar-te como chegámos aqui, não sou quem era antes da minha primeira mudança corporal e não quero voltar a ser aquela pessoa, cresci e avancei, não choro os quilos ganhos.

 Ok, naqueles dias em que experimento roupa e nada do que eu gosto, me serve, eu tenho quebras e choramingo um bocado, é frustrante ver que as roupas são idealizadas para certo tipo de corpo e que para o meu, muitas vezes não existe algo que combine comigo e a um preço justo.

 

 Mas este é o corpo que eu tenho, é o corpo que gerou o meu filho, o corpo que se levanta todos os dias para ir trabalhar, o corpo marcado pela celulite e pelas estrias, de uma cor que não é branca nem castanha, uma mistura de raça. Deu-me trabalho amá-lo e acarinhá-lo. Não é fácil, principalmente nesta altura em que anda tudo tão centrado em comer frutos secos entre corridas matinais de 5km, porque as pessoas olham para mim e julgam-me, apenas pelo tamanho do meu corpo, acreditam-me preguiçosa e desleixada. Sabes o quão isso é desumano? Eu aqui a acreditar e a pregar que as pessoas devem viver as vidas que as fazem felizes desde que não prejudiquem ninguém e tenho de levar com olhares de esguelha se estou a comer um hambúrguer ou pizza, se bebo a porra de uma cola!

 Deu-me um trabalho descomunal aprender, primeiro a aceitar o meu corpo, depois a sentir-me bem nele e agora, a amá-lo. Foi um tarefa de peso (eu sei) passar a olhar-me ao espelho nua e não ficar ressentida, comigo ou com a vida. Sei onde estão os meus pontos fortes e sei o que me fica bem e não. Não me sinto espectacular todos os dias mas está tudo bem, também tenho de aceitar que os dias menos bons nos fazem apreciar os dias mesmo bons e a vida é uma mescla de tudo isso.

 

 Acho que deves ligar a luz, tirar a roupa e ver-te ao espelho, submeteres-te à única opinião que conta, a tua. E, com honestidade para contigo, e principalmente com bondade para contigo, encontrares a beleza que tens. Porque tens. Sejas magra ou gorda, amarela ou castanha, alta ou baixa, quando perceberes que és bonita na tua forma mais crua, vais ganhar um poder sobre ti mesma que é algo muito mais portentoso que o que qualquer trolha que te assobie na rua. 

 E depois vais aprender/continuar a usar a maquilhagem, os perfumes, os cuidados de rosto e de corpo, as roupas que gostas e os acessórios bonitos, não para fazer os outros descentrarem-se de ti mas para complementar o quão bem te sentes a ser tu mesma. E não, não vai ser perfeito todos os dias mas vai valer a pena o esforço.

 

20160207_250.JPG

 

 

 

 

It's Gone! #18

Olá!

 

Como diz a Lili, hoje é dia de lixo. Cosmético sim, mas lixo. Ok, cada embalagem vazia conta uma história e tem memórias atachadas, algumas boas e que queremos repetir até mais não, outras nem tanto e que desejamos esquecer rapidamente. Veremos como corre hoje!

 

Vamos a isso?

its-gone18-jardins-suspensos.jpg

O óleo capilar Orofluido é, de entre os que já testei, aquele que eu gosto mais. Gosto que seja espesso, cheire bem e gosto da forma como deixava o meu cabelo. O frasco de vidro e sem doseador pode ser um factor que impede as pessoas de o escolherem mas eu dei-me ok com isso, é preciso ter alguns cuidados mas trabalha-se bem. Durou-me montes e montes de tempo e confesso, que vocês sabem que eu farto-me das coisas mesmo que goste delas, usei outros alternados. Mas este ainda é o meu xodó.

 

Sim, eu sei, os meus óleos deram para acabar todos ao mesmo tempo. Acabou também o Óleo Extraordinário da Elvive. Numa onda mais liquida que o anterior, este é um óleo de que gostei também, bem mais do que o da Nativa SPA de há dois posts de terminados atrás. Este ainda em vidro mas com doseador, tornou-se apenas mais difícil para o final já que o pump não o conseguia transportar e virando ao contrário, os ombros largos não foram colaborativos. Ainda assim, eu gosto.

 

(+)Clica aqui e poderás ler todos os meus posts de produtos terminados!

 

A manteiga Glazed Apple da The Body Shop tornou-se num item adorado e fico extremamente contente que tenha voltado este ano. Sem ser demasiado espessa, espalhando bem e absorvendo moderadamente (afinal não deixa de ser uma manteiga), deixa a pele suave e cheirosa. Para quem já usou, é na onda da de morango, para todos os tipos de pele e portanto menos pesada que as indicadas para pele seca.

 

A loção Bem-Vinda Primavera d' O Boticário* não é floral como o design poderia sugerir mas sim muito doce e espalha-se bem, deixa a pele macia e bonita, sem carecer de perfume, dado que o odor dura várias horas. Absorve de forma relativamente rápida e não pesa na pele. Não consigo dizer mais nada, queria que existisse para sempre, até porque lembra imenso o odor da loção do perfume Thaty Midnight mas sem os brilhos roxos. Edições limitadas, um amor/ódio eterno.

 

Finalmente, o champô Azeitona Mítica da Garnier. Com um odor ali no mais ou menos, nem amo nem odeio, faz espuma quanto baste e deixa o cabelo limpo e bonito mas nada fora de série. Com tanta publicidade aos benefícios dos ingredientes, estava à espera que fosse um pouco melhor. Ainda tenho ali mais uma ou outra embalagem para usar e vou tentar com a linha toda junta, pode ser que a impressão melhore.

 

Então assim de repente, dos cinco produtos, apenas um não me encheu as medidas, os outros quatro são opções para voltar a usar. Até porque eu tenho backups de cada um deles, mesmo do champô. Eu sei, eu sei, completamente louca. Mas feliz.

 

Beijoo :)

 

prsample2015.jpg

 

 

Follow my blog with Bloglovin

[Giveaway] Cabaz de Natal 2015

 Eu sei, pareço o Pai Natal sem a melena branca. Sim, fiquem com mais um sorteio da minha parte.

cabaznatal15.png

 A verdade é que não é só da minha parte que vem o sorteio de hoje. Em conjunto com os blogs Be Fashion, Pandora by Liliana Pinto e PurEssence, temos quatro prémios para oferecer a quatro sortudos.

 

cabaznatal150.png

 

 E os prémios são:

1 - 100€ na Showroomprivee. A Showroomprivee é um site de vendas privadas, de origem francesa, que prima por vender artigos de marcas de alta qualidade a preços reduzidos. Lá poderão encontrar de tudo, desde acessórios a roupa, decoração e cosméticos. Todas as semanas há novidades e as vendas decorrem num período limitado, permitindo uma rotação de opção muito diversificada.

2 -  Máscara de pestanas Make B Universe Splendor Effect 2 Em 1 d'O Boticário + Verniz Make B Universe na cor Mistery Burgundy d'O Boticário + Paleta Swinging Silver da The Body Shop.

3 - Creme de dia Serum⁷ da Boots Laboratories + Champô Henna e Vinagre de Amora da Ultra Suave.

4 - Sabonete Geranium Poppyseed Scrub da African Bliss + Desodorizante Rose, Pelargonium & Sweet Orange da The Victorian Garden + Bálsamo labial Grapefruit da Oh-Lief + Gel de duche (50 ml) da Africology. Todos estes produtos são provenientes de marcas naturais sul africanas.

 

 Regras obrigatórias:

- Registarem-se no site da Showroomprivee

- Serem seguidores das páginas de Facebook Jardins Suspensos, Be Fashion, Pandora by Liliana Pinto e PurEssence. todas as restantes opções são isso mesmo, opções, entradas extra.

a Rafflecopter giveaway  

 O sorteio é válido até dia 6 de Janeiro para Portugal Continental e Ilhas e os vencedores serão sorteados aleatoriamente. O envio do voucher está a cargo da Showroomprivee e os restantes, de nós.

 

 Boa sorte!

[Giveaway] Gift Card no valor de 50€

 Olá!

 

 Eu sei, falta cerca de um mês para o Natal e vocês ainda andam às aranhas com opções de prendas. Sem medo, o sorteio que junta 6 bloggers tem a resposta para todos os vossos desejos.

gift card2.png

 

 Pois sim, neste Natal, eu e mais 5 bloggers temos para oferecer a um/a de vós, um gift card no valor de 50€, para que o usem na vossa loja de preferência. Parece-vos bem?

 

 As regras obrigatórias são simples e depois vão ter várias opcionais, que vos garantem mais possibilidades de vir a ser o sortudo vencedor.

 

 Obrigatório:

 Gostar da página Jardins Suspensos

 Gostar da página Pandora by Liliana Pinto

 Seguir o blog Fabylous

 Seguir o blog Mademoiselle Piki

 Seguir o blog Flash's by Cinha

 Seguir o blog O Blog da Dondoca

 Partilhar o sorteio de forma pública

 

a Rafflecopter giveaway  

 

 O sorteio vai até dia 20 de Dezembro, sendo válido para Portugal Continental e Ilhas.

 

 Boa Sorte! :)

[Giveaway] Ganha uma Beauty4All Bag com 4 Produtos Surpresa!

Olá!

 

Hoje tenho um sorteio para vocês!

 

Em conjunto com a Beauty 4 All, temos uma bag surpresa para oferecer! E quem é que não gosta de surpresas?!

A mostrar passatempo.jpg

sorteio4all.jpg

 

Particpar é fácil!

Regras Obrigatórias:

Seguir as páginas de Facebook Jardins Suspensos e Beauty 4 All

Subscrever a newsletter Beauty 4 All

Partilhar o passatempo de forma pública

Opcional:

Seguir o blog no Bloglovin

 

Vencedora: Verónica Caraça
 

Depois é só preencher o formulário e cruzar os dedos. O sorteio termina dia 8 de Dezembro, mais do que a tempo de servir como prenda natalícia. O sorteio é válido para Portugal Continental e Ilhas.

beauty4all.jpg

Boa sorte!

[Cabeceira] 3 Policiais para ler enrolada numa manta

 Tenho as estantes cheias de livros, alguns deles ainda sem terem tido atenção. Esta semana temos planeada uma visita ao IKEA para comprar mais estantes, diz que o moço também tem livros seus e o resultado da junção do espólio de ambas as partes é a grosseira falta de espaço.

 

 Tal facto não me impede de querer mais livros, de os namorar nas montras digitais ou nos stands próprios, lá no hipermercado do costume. Por isso, e porque partilhar os meus desejos pode ser tudo o que vocês precisam para adicionar algum título aos vossos, aqui ficam 3 policiais para ler, enrolada numa manta.

3-policiais-jardins-suspensos.png

O Sítio Secreto, Tana French

Um jovem é encontrado morto nos jardins de um colégio feminino. A polícia não consegue apurar os culpados, nem clarificar as circunstâncias do crime. Mas alguém viu e sabe o que se passou…
"Sei quem o matou" é a legenda de uma foto do rapaz assassinado, que aparece misteriosamente afixada no Sítio Secreto: o quadro de avisos da escola feminina, onde as alunas afixam segredos de forma anónima. Esta pista inesperada relança o detetive Stephen a desvendar um nó de segredos para chegar à verdade.

O livro Sombras do Passado foi um dos meus livros preferidos de 2014, devorei-o de ponta a ponta. É por isso que preciso de mais Tana French na minha vida literária. Só isso.

 

Pureza Mortal, J.D. Robb

Um misterioso caso sangrento relacionado com vírus de computadores causa terror e espanto. Louie Cogburn tem um ataque de fúria depois de dias em frente a um computador, causando um morto. A detetive Eve Dallas é encarregada da investigação do caso, não havendo, porém, nada que consiga explicar a fúria súbita do homem ou a sua morte. A única pista existente é uma mensagem bizarra no ecrã do computador: Pureza Absoluta Cumprida.
Eve divide-se entre um difícil caso de trabalho e a intensa relação de amor que vive com o marido, no seio da qual finalmente encontra o seu equilíbrio e paz de espírito. Mas para se concentrar no trabalho, será que descompensa no coração de Roarke? Quando um segundo homem morre em circunstâncias quase idênticas, Dallas apercebe-se da coragem e força intelectual, para além do apoio incondicional de Roarke, de que necessita para deslindar o caso e encarar o impossível… será isto um vírus de computador passível de contágio da máquina para o homem?

Eu sou fã desta série e só me falta mesmo este novo na colecção. Tenho prazer em perceber que a editora se retratou e voltou a incluir a palavra mortal no título dos livros, dado que esta é a série Mortal e faz o seu sentido.

 

Alex Cross: Fogo Cruzado, James Patterson

Os planos para o casamento do detetive Alex Cross com a sua noiva, Bree Stone, são interrompidos. Alex é chamado à cena de crime do assassínio de dois dos mais corruptos de Washington, DC: um congressista sem escrúpulos e um lobista dissimulado. Mas o atirador furtivo volta a atacar, escolhendo outros políticos corruptos como alvos, e desencadeando uma torrente de teorias — afinal, será este atirador um herói ou um mercenário?
O caso toma proporções inesperadas e o FBI destaca o arrogante agente Max Siegel para a investigação. Rapidamente, Alex e Siegel entram em confronto acerca de quem tem jurisdição sobre o caso.
Entretanto, os assassínios continuam. Enquanto se debate com a identidade do atirador, Siegel e o casamento, Alex recebe um telefonema do seu mais mortífero adversário — Kyle Craig. O génio do crime está de volta a DC e não irá descansar enquanto não tiver eliminado de vez Cross e todos os seus entes queridos.
Apanhado no fogo cruzado, irá Alex conseguir sobreviver?

O 5º livro com Alex Cross como protagonista chega até nós. Eu já li o primeiro e gostei, tem um ritmo rápido e enreda-nos, acho que dentro do género está bom e quero ampliar a minha colecção deste autor.

 

Quais são os livros que querem adicionar às vossas estantes brevemente?

[People] A publicidade à diversidade corporal faz arder os olhos e os cérebros

 Go Naked é o nome da campanha levada a cabo pela Lush para a consciencialização do desperdício existente com as embalagens dos produtos que consumimos, tanto porque algumas não são necessárias e determinantes para o produto em sim, como porque ocorre um excesso na sua formulação, não sendo a embalagem, quando necessária, o estritamente aplicável.

 Em 2007, ao meio-dia exacto do dia 12 de Julho e em 55 cidades do Reino Unido, as equipas de loja saíram à rua, vestidas apenas com aventais onde se encontrava a frase "Ask me why I'm naked.". Essa acção serviu claramente para chamar a atenção e com isso direccionar o rumo de interesse para o ponto em questão.

go-naked-2007-lush-jardins-suspensos.jpg

 Este ano, de forma a continuar a defender a sua posição, a marca lançou novas imagens associadas, desta vez na Austrália, cuja principal é esta.

go-naked-lush-jardins-suspensos.png

 Quatro mulheres com corpos distintos, sem retoques, sem pejo nem embaraço. Quatro funcionárias Lush que abraçam as causas da sua marca e lhes vestem a camisola, neste caso, que a despem. A adicionar ao facto de ser maioritariamente uma campanha que visa, como já disse acima, o posicionamento em relação a embalagens e o seu efeito negativo no planeta, a marca quer passar uma imagem positiva em relação ao corpo, ao nosso corpo real, o que tem celulite e marcas, que nos acompanha ao longo da nossa vida e que reflecte quem somos, de onde viemos, para onde vamos. E o nosso corpo não veste photoshop, não respeita as medidas ideais proclamadas por quem não tem direito de o fazer. E sentir-nos bem no nosso corpo é uma parte muito grande e importante da nossa auto-estima.

 

 Derivado a quatro queixas oficiais, a entidade reguladora na Austrália atribuiu o adjectivo de "pornográfica" a esta campanha e fez com que fosse retirada. As queixas defendiam que havia nudez em excesso e que era de fácil acesso a crianças. Um dos queixosos dizia que as mulheres estavam nuas e que tocavam em outras mulheres nuas, não sendo algo que queria que os filhos vissem no seu passeio semanal no centro comercial.

 

 Posso gritar? A sério, deixem-me gritar.

 

 Eu sou mãe e como mãe, a nudez a que os nossos filhos são expostos é importante.

 Mas o que é mesmo importante é diferenciar o que é nudez pornográfica, que é a nudez pelo acto de tirar a roupa e gerar atracção sexual. A pornografia assenta estritamente na sexualidade, tanto que se ela não acontece, passa a ser uma arte erótica ou boudoir.

 E depois temos a nudez como forma contestatária, como marcação de posição referente a algo que não tem atenção suficiente ou cujo foco possa ser equiparado com a nudez. Não usar peles e preferir andar nua. Usar produtos sem embalagem e tirar a roupa como representação disso. Será que dá para perceber a diferença?

 

 A nudez, por si só, não é algo a que os nossos filhos devam conotar como errado e parte de nós educá-los nesse sentido. Porque é importante que eles se sintam bem consigo próprios, na sua pele, e o seu corpo nu faz parte integrante disso.

 

 Para mais, a conotação de que mulheres nuas não devem abraçar outras mulheres nuas, soa-me homofóbica e isso dá-me comichão no céu da boca. Não, não costumo abraçar as minhas amigas em pêlo mas isso é tirar a imagem fora do contexto dela. E é feio que se farta. E é falta de educação. E estúpido. 

 

 Quando olham para o futuro, para o mundo daqui a umas décadas, provavelmente sem nós para o habitar, imaginam o quê?! Pessoas escondidas porque são gordas, mutiladas porque são gays, apedrejadas porque praticam nudismo?! Que amanhã querem para os vossos filhos, para os vossos netos? Querem que sejam eles, na sua forma de serem especiais e únicos, apontados como diferentes e ostracizados como tal, cruelmente tratados por isso? Desejam que eles vivam num mundo onde as diferenças são tratadas como afrontas e ataques?

 Isso começa na vossa casa. Na forma como os ensinam que amar alguém do mesmo sexo não é um desvio, que todas as formas corporais merecem o mesmo respeito, que há sempre pessoas que pensam e agem de forma diferente de nós e que é ok não o compreender mas que se isso não assenta em violência ou maus tratos, é tão válido como a nossa forma de viver.

 

 Com tantas campanhas publicitárias espalhadas por aí, vocacionadas e estabelecidas em cima do sexo, do homem em cima da mulher, subjugando-a e fazendo dela o seu fantoche, seria hilariante ver que a campanha que é retirada por demanda popular é aquela que atende a aceitação corporal fora do que é carimbado como ideal.

 Seria hilariante se não fosse só triste.

 

 Obrigada Filipa por meteres este assunto no meu caminho e por achares que o que eu pudesse pensar e escrever sobre ele fosse algo que quisesses conhecer.

 Aqui fica o post da Cláudia sobre o tema. Aqui e Aqui estão links de referência para a elaboração deste post.

[Beauty] Brush-Tastic, um Kabuki vestido de Flamingos

 Olá!

 

 Nas minhas recentes deambulações às Well's da vida, reparei que a edição em destaque da essence, é a #secret party, uma colecção virada para o Verão. Mais uma prova de que as liberações de edições limitadas da marca em Portugal precisam de ser revistas. Outono gente, é Outono no seu esplendor. E frio e chuva e cabelos com electricidade estática. Eu tenho a ponta do nariz frio, for God's sake!

brushtastic-jardins-suspensos.jpg

 Eu já tenho um produto desta colecção há alguns meses, quando esteve disponível nas lojas online espanholas e é dele que vos venho falar, o Brush-Tastic.

brushtastic-jardins-suspensos1.jpg

 Quase sempre que possível, quando a marca lança pincéis, limitados ou não, eu vou nessa. É por isso que o único artigo que eu comprei foi mesmo o kabuki de rosto. Com o design de cabo muito veraneante e atraente (flamingos!!!), ele é enorme, um bom tanto maior do que aquele que vocês encontram na linha regular.

brushtastic-jardins-suspensos4.jpg

brushtastic-jardins-suspensos5.jpg

 Comparando os dois e mesmo com o que já vos mostrei aqui da Catrice, é visível que ele é quase gigante, certo? Diz a essence que ele é o kabuki para usarmos com os nossos pós bronzeadores faciais favoritos da marca mas ele dá para o corpo também.

 

(+)Clicando aqui encontras o post sobre o kabuki da Catrice!

brushtastic-jardins-suspensos3.jpg

 Ele não é muito denso, cede facilmente à pressão contra o rosto mas não abre demasiado.

 O quê que isso quer dizer? Ele serve para aplicações amplas, como um pó por todo o rosto, se o quiserem usar para aplicação de blush por exemplo, ele não vai ser tão preciso e vai espalhar demasiado o produto e ninguém quer parecer aqueles memes que aparecem nos nossos feeds com a descrição de terem levado duas chineladas na cara. Pronto, se tiverem muito cuidado na aplicação e se for um formato de pincel com o qual trabalhem bem, conseguem usá-lo com blush mas com tanto pincel mais indicado, não vejo necessidade nenhuma disso. Tipo, 0.

brushtastic-jardins-suspensos2.jpg

 A colecção está nas Well's e o pincel custa 5,69€. Vale a pena para quem gosta de kabukis, para quem usa pó no rosto e para quem colecciona os pincéis da essence ou coisas giras em geral. 

 

 Beijoo :)

[Beauty] Gel Micelar Frescura Corine de Farme: Primeiras Impressões

 Olá!

 

 Já vão mais de dois meses desde que comecei a passar, lá na minha caixa de hipermercado, o Gel Micelar Frescura da Corine de Farme. Como não cheguei a ler nada sobre este lançamento, achei um pouco estranho. Mas a verdade é que ultimamente, as marcas primeiro lançam os produtos no ponto de venda e só algum tempo depois apostam em publicidade, tenho visto isso acontecer bastante, principalmente em marcas encontradas nos supers/hipers.

 

 Quando finalmente o apanhei, sim porque ele vinha muito de quando em vez e com tão pouca quantidade que eu não o conseguia trazer para casa, tive a benesse de estar em promoção. Não ia dar para o deixar lá, certo?

gel-micelar-corine-jardins-suspensos1.jpg

 A marca diz sobre ele:

"O gel micelar frescura é composto por micelas, pequenas partículas de tensioativos que removem as impurezas presentes na pele. Estas micelas também eliminam eficazmente a maquilhagem do rosto, olhos e lábios.

Uma fórmula deliciosamente cosmética

O gel micelar foi especialmente concebido para aliar a eficácia de um desmaquilhante à frescura de um tónico.

A sua fórmula micelar garante uma desmaquilhagem perfeita do rosto e dos olhos, mesmo da maquilhagem mais resistente (segundo resultados de testes realizados).

Graças à sua textura, o gel é facilmente absorvido pela pele e proporciona uma sensação de frescura imediata sem deixar a pele desconfortável ou pegajosa.

Enriquecido com extrato de Centáurea Azul, reconhecida pelos seus benefícios tonificantes e extracto de hibisco, com propriedades suavizantes, o gel micelar limpa, hidrata e tonifica a pele suavemente.

Um resultado naturalmente fresco

A sua pele fica desmaquilhada, hidratada, suave e fresca.
Indispensável para o seu ritual de beleza quotidiano."

gel-micelar-corine-jardins-suspensos2.jpg

 As minhas primeiras impressões?:

 Eu tenho várias águas micelares, é um produto do qual gosto e achei muito interessante a oferta em gel. Se usam geles de limpeza de rosto, estão acostumadas à sensação e toque na pele. Ele é bastante trabalhável, não sendo demasiado líquido ou espesso, e retira a maquilhagem com facilidade, pecando, como as águas, no que se refere a maquilhagem à prova de água, mas sendo bastante expedito com a de longa duração.

 Depois do uso, e também como acontece com as águas, é importante passar o rosto por água corrente, dado que, aliado ao facto de este tipo de produto ser detergente e deixar para trás algo que não vos interessa que fique na pele, podem ficar com uma sensação pegajosa. Eu, que não gosto de ter água a escorrer-me pelos braços, uso uma esponja de celulose húmida e passo-a no rosto e pescoço. O odor é ténue e similar ao das águas.

 

 Até ao momento estou a gostar. Ele custa 5,99€, tem 500ml e é uma boa ideia quando querem variar e se gostam do conceito.

 Já experimentaram ou sequer o viram nas prateleiras?

 

 Beijoo :)