Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

[People] Ter Gordura no Cérebro, por Lagerfeld

 Olá :)

 

 Karl Lagerfeld, como editor convidado do Jornal Metro disse: "Ninguém quer ver mulheres com curvas generosas." Fonte e foto

 

Pareces eu a pedir para teres pena de mim e não me dizeres coisinhas tão...

 

 

 Oh Karl, mas espera aí, tu (sim, sim, vou tratar o homem por tu, já que ele sabe mais de mim que eu) porventura sabes o que vai na cabeça dos milhões de habitantes deste nosso estimado planeta?!

 

 Guru da moda ou não, a mim ninguém me diz o que gosto de ver, que eu tenho umas coisinhas que fazem falta a muita gente: cérebro e personalidade. Se vai de acordo com o que os outros gostam ou admiram, isso são contas de outro rosário, não posso nem quero controlá-lo.

 

 Além de que, o conceito de curvas generosas, varia de pessoa para pessoa, para ti pode ser uma mulher com 48kg e para mim já terá de ter 85kg.

 

 A Adele é gorda, dizes tu. Os homens Russos são feios, dizes tu. Quem aparece nas revistas é bimba, dizes tu. Os Gregos e Italianos têm hábitos nojentos, dizes tu.

 

 

 1º: Para criticar alguém, é preciso olhar para si mesmo, ser auto-crítico. Já tentaste? Não transparece.

 

 2º: Há homens feios e bonitos em todas as nações do mundo, depende sempre de quem vê mas não é preciso andar de dedos apontados, ou serão farpas?

 

 3º: Apareces em revistas. Então és bimbo, certo?

 

 4º: Hábitos nojentos... Que tal: preconceituoso? Para mim é um hábito nojento.

 

 

 Ter um certo estatuto e uma infindável legião de seguidores, não dá o direito de ser cruel a ninguém, principalmente quando o parecem estar a fazer por desporto. E ainda por cima, levar todos no barco consigo. Opinião é coisa pessoal, generalizar o que se sente para tentar "não ser sozinho" é degradante.

 

 

 A Adele tem orgulho em ser como é e não se preocupa com rotulagem. Quem serás tu para o fazer?

 Sei lá se os homens Russos são todos feios, nunca tive tempo para perder com esse tipo de divagações. Nem invejo quem tenha.

 Quem aperece em revistas, ultimamente, tem sido muito trabalhado com Photoshop, demais até. Terá a ver com sentidos de moda irreais como esses que apregoas? Não sei mas não gosto e eu gasto dinheiro nas revistas, não as recebo de borla, portanto sinto-me no direito de ter uma palavra a dizer sobre o assunto. Mas isso não é ser bimbo.

 Hábitos nojentos à escala enumerada, é uma coisa daquelas muito generalizada e demasiado abstracta para desenvolver.

 

 Não sou santa nem quero, tenho mau feitio como o raio e não me envergonho. Ah, e sou um bocado gozona. Serei sempre a minha maior crítica. Já admiti que por vezes sinto inveja e acredito que há um tipo de inveja que é boa porque nos faz tentar ser melhores. Não acredito em rótulos baseados em género, raça, religião, tendência sexual, peso, ou idade.

 

 Mas sou contra homens que batem em mulheres, contra mulheres que usam das partes intímas para subir na vida, contra todos os brancos e negros que vão ao lugar onde trabalho roubar, contra os genocídios cometidos em nome de um Deus que não o pediu, contra todos os homossexuais que querem tanto ser diferentes que não se importam de tratar mal quem os atende por acharem que estão a ser julgados, contra as magras que olham com cara de nojo e gozam as mais gordas, contra as gordas que se baseiam nisso para não ser melhor como pessoa, contra os novos e os velhos que são mal criados só porque sim.

 

 Não me confundam com uma ressabiada.

 Tenho trabalho, um filho maravilhoso e um namorado que me atura de livre vontade. Tenho sonhos e metas, sou feliz na maior parte do tempo.

 

 Sejam felizes também.

 

 

 

 

2 comentários

Comentar post