Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

[Cabeceira] O Enigma das Cartas Anónimas

 Acabei agora de o ler. E para não variar, gostei.

 

 Eu gosto mesmo muito de ler, tem-me faltado é muita alguma paciência.

 E de entre todos os géneros, que ler de tudo um pouco só faz bem, o policial é o de eleição. Principalmente desta senhora.

 

 Este comprei baratinho no Leilões.net e não fiquei desagradada. Quer dizer, eu tenho bué da algumas manias com os livros que é como quem diz que não gosto que tenham marcas, deixa-me um bocado assim pró doente. Este veio com algumas, o outro que comprei vem quase intacto. Talvez também porque este seja de 2001 e o outro de 2009. Mas comprei dois pelo preço de um e isso faz-me bem à alma (eu sei que tenho pancada mas que fazer? se compro bom e barato sinto um calor no peito).

 

 Estou a fazer esta colecção da Asa há uma catrefada de anos, ou talvez sejam só 5 ou 6, qualquer coisa assim. A colecção está dividida em 3 séries, facilmente identificadas pela lombada: o meu querido Poirot, a não tão inócua Miss Marple e todos os Outros. Laranja, Azul e Cinza, é assim que os identifico rapidamente.

 Comecei com os de Poirot porque sou uma fãzorra mas o interesse também se estendeu ao resto da colecção, até porque as séries não são editadas em conjunto. Com isto, já tenho cerca de metade da colecção, é o meu vício. Podia dar-me para pior...

 

 Isto da crise afecta tudo em volta e foi com isso em mente que adquiri os meus livros novos, usados. O dinheiro tem que esticar e todos temos prioridades no que toca a gastá-lo. Obviamente que livros não são prioridade, excepto os escolares, então vai de aproveitar que o vendedor tem um bom feedback e manda vir. Em rigor, não é a primeira vez que compro um livro assim. A minha tara anterior era o Harry Potter e o último livro da série comprei no hi5 numa banca virtual.

 

 Gosto desta  colecção da Asa, gosto mesmo. Gosto das capas, das imagens, das páginas, tem um ar clean. Isto em oposto ao Vampiro Gigante. Que se há de fazer? Faz-me impressão aqueles livros, há algo neles que me desagrada violentamente. Repito, podia dar-me para pior.

 

 Voltando ao meu livro, é o número 4 e conta com a astuta Miss Marple. Ela não aparece logo, pelo contrário, vem quase no fim para dar uma achega. Outra coisinha sobre o livro: vem escrito na primeira pessoa, como um relato de tudo quanto sucedeu em Lymstock e o seu surto de cartas anónimas maldosas, suicídio e assassinato. É bom, toca no assunto da natureza humana e do que a move, assim como costuma acontecer na análise de Jane Marple. Os personagens são verosímeis, é-me fácil crer que há muitos deles neste mundo, com as suas falhas e competências.

 

 Gostei bastante, recomendo com entusiasmo juvenil, 191 páginas de Agatha Christie é sempre tempo bem empregue.