Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

[Família] Nome de Código: 7º Ano

 Olá :)

 

 Ontem, finalmente saíram as notas do 6º ano lá na escola do meu filho.

 

 A verdade é que não tinha dúvidas que ele passasse de ano mas obviamente que queria ver as notas efectivas!

 

 O meu menino não teve uma única negativa e ainda conseguiu um 4 a Ciências, que era uma disciplina em que tinha mais dificuldade :)

 

 Não desfazendo dos filhos dos outros, o meu é lindo e tudo e tudo! Acho que já o elogiei por aqui umas quantas de vezes mas acho realmente que ele merece, por tudo de bom que traz à minha vida e as formas como a enriquece.

 Ter filhos não é só ensinar, é também aprender. É dormir pouco e mal se eles não estiverem bem (força aí Andreia!).

 

 Os especialistas dizem que os pais não devem tentar ser amigos dos filhos, pois a sua principal função é disciplinar. A verdade é que se não formos minimamente amigos dos nossos filhos, não podemos esperar que eles nos confidenciem assuntos importantes e relevantes das suas vidas. Se formos apenas o general que impõe as regras e procede ao castigo caso eles não as cumpram, não estamos a criar uma relação de confiança com os petizes. Por vezes, quando acho que o meu filho se porta pior do que aquilo que quero dele, agarro-o e sento-o para conversar. Faço-o ver que fez errado, que tem tudo porque fazer melhor, que é capaz de melhor, que aquilo que ele faz, define o tipo de pessoa que é e irá ser. E acho que resulta. Digo a verdade, por vezes ameaço umas quantas palmadas, mas é muito raro ter de o fazer. E prefiro assim.

 

 Claro que ele se comporta como qualquer miúdo de 12 anos mas também age como um adulto por vezes. Como por exemplo na altura do aniversário em que, com dinheiro próprio, comprou coisas que necessitava e não bugigangas. Confesso, fiquei orgulhosa demais :D

 

 Por vezes tenho pena de não passar tanto tempo com ele como merece e precisa mas a verdade é que todo o esforço que tenho feito, é pela melhoria da sua vida. Podia claro, passar o dia em casa, de volta do computador e viver à custa do estado ou de algum familiar. Mas e depois, como é que ele aprendia que as coisas para aparecerem, precisam de trabalho, esforço? Com que moral eu ensinaria valores ao meu filho, se fosse mais uma sanguessuga, que pouco ou nada faz por si mesma, sem objectivos nem sonhos, sem arregaçar as mangas?!

 

 Não sou perfeita. O meu filho não é perfeito. É um menino que gosta de brincar com bonecos da WWE, que me melga para jogar UNO, que pede festinhas nas costas, que chega suado depois de jogar à bola, que me dá beijinhos e diz que me ama, todos os dias. Que merece toda a imperfeição afectuosa que tenho em mim. Isso e umas férias minimamente divertidas!

 

 Agora (por ente partidas de UNO e bifes de peru com natas) é tempo de fazer as contas ao stock de material escolar e ver a questão dos livros. 7º Ano, wait for us! :)

 

 

Beijoo :)

2 comentários

Comentar post