Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

[Foodlovin] Quiche, o conforto do estômago

 Olá! :)

 

 Por aqui queimam-se os cartuchos finais das tão esperadas e curtas (sniff) férias.

 

 Então, agora que o tempo ainda o permite, vou fazendo aquelas coisinhas que só faço nas folgas, quando a cozinha não é inimiga do relógio e da paciência.

 E o que me estava mesmo a apetecer era algo que nem é assim tão difícil de fazer mas que por alguma razão que neste momento me foge, já não fazia há cerca de um mês.

 

 Quiche.

 

 Pode parecer estranho que eu tenha isto como um petisco mas a verdade é que para mim, o é. Gosto mesmo muito de quiche e é raro fazê-la com ingredientes diferentes dos que vos vou mostrar. Associa-se o Verão como altura ideal de comer esta iguaria mas para mim, sabe bem o ano inteiro. A versatilidade de poder ser tão bem degustada fria, como quente, dá-lhe um à vontade de me preencher as necessidades sempre que tenho tempo e ingredientes.

 

 Vamos para a cozinha? ;)

 

 Massa Folhada ou Quebrada? Ora bem, aqui as opiniões podem dividir-se mas eu cá acho que não há nada como experimentar ambas. Prefiro a Folhada, é o que gosto e me dá o efeito que o meu paladar aprova.

 

 Uso uma forma de silicone e como vou apoiá-la na grelha e não num tabuleiro, fazê-lo efectivamente é a primeira coisa a fazer. Really, não queiram tentar fazer isso com forma de silicone depois de porem todo o recheio.

 

 

 Disponho a massa sobre a forma e depois vou ajeitando, que é o mesmo que dizer que vou dobrando o excesso para dentro e calcando-o com os dedos. O ideal é que isso faça com que a massa fique um pouco acima da altura da forma, para o caso de porem recheio a mais para o espaço existente.

 

 Picar a massa com um garfo. Não percebia este passo nem o porquê dele. Aquilo que faz é permitir que a zona inferior da massa, coza toda. Por vezes ficava mal cozida e molhada por baixo. Se picar o fundo, não acontece.

 

 

 Vamos rechear? Eu gosto de bacon na comida, acho que sabe muito bem para o mal que faz. Cerca de 100g de bacon em tiras é suficiente.

 

 

 Havia por aqui, uma lata de salsichas aberta, com três pobres coitadas abandonadas. E lá foram elas!

 

 

 Outra coisa que gosto de usar, cogumelos. Um lata de cogumelos laminados bem escorridos e está a festa feita.

 

 

 Ou não, porque falta o quê que lhe dá sabor. Queijo! Já experimentei queijo flamengo mas achei que o mesmo, quando frio, solidificava, tornado-se algo borrachento. Então, Mozzarella ralado passou a ser a minha opção. Entre 100 e 200g, vai depender muito se gostam ou não que tenha um aroma menos ou mais intenso a queijo. No entanto, ficam já a saber que este específico queijo, não tem um sabor forte, portanto, mesmo com as 200g, não vai ficar mesmo mesmo intenso. Se por exemplo, usarem Emmental, já aconselho 100g, devido ao seu sabor mais forte.

 

 

 E agora, a minha massa para ligar todos estes sabores. Bato 4 ovos e um pacote de natas. Junto-lhes pimenta e noz-moscada. Não ponho sal e não lhe sinto a falta, por causa do sal já existente no bacon. Deitam esta mistura na forma and is good to go! 

 

 

 

 Forno com ela durante cerca de 30m, dependendo da potência do forno.

 

 E olhem agora para ela!

 

 

 

 

 Era boa sim senhora, tanto que se acabou! :)

 

 Com salada à refeição ou playing solo num lanche reforçado, é uma óptima opção. O melhor de tudo, é que podem fazê-la com o vosso recheio de eleição. Seja espinafres ou carne, passando pelo atum, quase tudo faz sentido numa quiche. Basta apelar-vos ao paladar!

 

 Bom apetite!


 Beijoo :) 

 

2 comentários

Comentar post