Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

[Etc] Eu andei pelas águas turvas e sobrevivi

 Ontem à noite, ia-me dando uma coisa má! Really!

 Isto para quem passou na Ponte 25 de Abril às 00h45-01h00, consegue perceber-me perfeitamente, fosse em que sentido fosse.

 Pois que o São Pedro decidiu que o estado do país não estava mal que chegasse, que não haviam desgraças poucas e decidiu unilateralmente afogar-nos com baldes de água celestial, tamanho mega-xl.

 Ou então decidiu que não tendo nós capacidade para suportar o evento do fim do mundo para o ano, quis dar uma ajudinha.

 

 Aquilo que importa salientar, são os relâmpagos que quase me cegaram, o pouco ou nada que se conseguia ver na Ponte, as poças gigantescas de água que se amontoavam junto às bermas da estrada, as rotundas idem, fora as tampas de esgoto que estavam quase a saltar, já que estavam os esgotos cheios e a transbordar. Isto na Margem Sul, que quando estava em Lisboa não era em nada o dilúvio descrito nestas linhas. Não era suposto ser um deserto deste lado?

 

 E depois como se o azar fosse parco e não fôssemos nós dizer bem da sorte de não termos acidente algum, não havia lugar para estacionar perto de casa. Vai de dar voltas ao quarteirão e encontrar um lugar feio e escuro (eu não sou racista, era mesmo escuro) lá para onde o meu paizinho perdeu as botas. Entre abrir porta e sair, fechar porta, abrir a de trás, tirar o saco e o chapéu de chuva e fechar a porta, demorei cerca de 10 segundos. Meia hora depois quando fui tomar banho, ainda tinha o cabelo molhado. Mas esperem, e para atravessar? A estrada normal com duas vias de rodagem, só na parte da linha descontinua é que não tinha água a rodos. O que quer dizer que fiquei com 1 litro de lágrimas do céu em cada um dos ténis.

 

 Funny right?

 Not so much...

 

 A quem tiver que andar na estrada ou no passeio com este tempo desalmado e volátil, peço que tenham em mente tudo o que podem fazer para se manterem a vós e aos outros, seguros. Porque sim, a vida de alguém pode depender do vosso civismo.

 

Até já.

 

 

P.S. Para quem não percebeu, enfiada entre desabafos e apelos sérios, estava descaradamente embutida a ironia que algumas almas acham que possuem. Pois...