Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

Feliz Dia da Mãe

 Sabem..

 

 Ser mulher, é natural, é intrínseco, é sermos nós mesmas, olharmos por nós e também um pouco pelos outros.

 

 Ser mãe é diferente. É depender do sorriso e felicidade de outrém para também o ser. É viver e trabalhar, mesmo que tudo doa e tudo desabe, porque alguém que não o pediu, precisa que o façamos.

 

 Mas apesar disso, desse sentiddo alerta de os querermos proteger a qualquer custo, temos de lhes dar espaço para serem eles mesmos, terem a sua personalidade fora da nossa, criarem a sua identidade, escolherem o seu caminho. Podemos ir com eles, mesmo que sejamos de diferente opinião ou podemos fazer finca-pé no que acreditamos estar correcto e nessas brigas, perdê-los. 

 

 Diz-se que mãe é mãe, que só há uma e tudo o mais mas olhando à volta, sabem o que vejo? Mães a criarem problemas de auto-estima aos filhos por quererem moldá-los à sua imagem, mães a permitir que homens de 27 anos não tenham utilidade numa casa, mães a sofucar os filhos, mães a usarem os filhos como desculpa para remeterem pena para si mesmas. Vejo tanta mulher que nunca deveria ter sido mãe, todos os dias, que me custa pensar que tipo de homens e mulheres serão os seus filhos, criados no meio de gritos e palavras de ódio, no meio de chantagem emocional, por entre os vícios e o abandono.

 

 Por muiito que se queira ser mãe e se sinta que o seu maior dom será esse, isso não prepara ninguém para o ser. Vamos sempre errar, vamos sempre fazer uma ou outra asneira. Mas ser mãe é não só ensinar e guiar, como é ser ensinada e guiada pela mão deles. E isso, vale a pena todos os sacrifícios.

 

 Seja qual for a idade, pensar antes de trazer um ser ao mundo, deve ser algo a considerar seriamente. Pensar se por algum acaso, forem sozinhas a cuidar daquela pequena dádiva, se serão capazes disso. Ou se serão covardes e abortar só porque o rapaz não quer mais uma boca para alimentar. E notem, eu sou a favor do aborto. Mas não porque um gajo que não nos vai aturar para o bem e mal, diz que deve ser. O direito de escolha é da mulher e é ela e só ela que tem de avaliar se será uma mãe digna de um filho, esteja sozinha amorosamente ou não. E se querem a verdade, há muita gente contra o aborto, que são péssimos exemplos de pai/mãe. E não me alongo nisso que senão nunca mais daqui saio.

 

 Pronto, um post menos bonitinho num dia que se quer feliz. Mas realidade nunca fez mal a ninguém.

 

 Feliz Dia da Mãe.

 

2 comentários

Comentar post