Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

Parabéns O Boticário, Nesta Data Querida! :)

 Hoje é dia de festa, é dia de olhar com carinho para o passado e planear o futuro, o dia em que uma marca comemora 27 anos de trabalho em Portugal, 27 anos de afirmação constante, de progresso, de criação de oportunidades.

 Uma marca que abriu mais lojas do que as que fechou, que percebeu que precisava de um ponto de encontro online deste lado do mar e o sediou no nosso canto, fazendo entregas para toda a Europa. Que viu incentivo onde os demais sentiram os tintins apertados. Que se apoiou nas bloggers para dar a conhecer os seus produtos, confiou nelas e investiu mesmo em quem quase ninguém na altura investiu e que, esperançosamente, dado que falo de mim, tenha recolhido bons frutos desse risco. Que nos dá não apenas o calor do seu sotaque natal nas lojas, como também a formação saliente no trato que é devido a quem lá entra, vista o que vestir, calçe o que calçar. 

 

 

 Sabem, todos os dias ouço falar na crise, as pessoas usam-na como desculpa para serem mesquinhas, para trabalharem menos, para se darem menos. A crise não é a razão para esses comportamentos. A crise não foi motivo para que O Boticário deixasse de abrir e remodelar lojas, que deixasse de entrar no comércio espanhol, que deixasse de contratar. A crise não molda as pessoas mas as pessoas, o génio que se encontra em cada um de nós, com perseverança, com determinação, com sensibilidade, isso molda a tal da crise. Ou vocês acham que o problema financeiro começou no dinheiro? Começou na forma de pensar, na vergonha de sonhar, na timidez de dizer que se é capaz e principalmente, na pequenez que é tentar aparentar ser-se mais do que se é, que a essência do que somos, sonho algum irá mudar, apenas o poderá evidenciar para o mundo inteiro se aperceber.

 

 Estou, desde cedo, habituada a trabalhar para ter aquilo que quero, acredito piamente que para se ter direito a algo, tem de se fazer algo que o mereça. Não me apanham na internet na hora do patrão, asseguro. E se não falo de algum produto que receba, é porque não consigo, por entre o meu dia a dia que não depende da internet.

 Isto para dizer que O Boticário me fez trabalhar para chegarmos aqui, os dois, de mãos dadas a comemorar outra vez um aniversário. Depois de ter ganho um passatempo no facebook da marca, e de ter dado provas suficientes por 6 meses de que i can handle the job, a marca acolheu-me naquilo a que a Guida chama de uma família. E sim, 6 meses é tempo para xuxu, sem nunca desistir, sem nunca dar parte fraca nem fazer um choradinho. Não me interessa neste momento se há quem entre mais depressa ou não, folgo em gozar o sabor do fruto daquilo por que lutei. E pelo qual continuo a lutar em todos os posts, não apenas os d' O Boticário, mas em todos, cada um dentro do seu objectivo e do meu humor.

 E digo-vos que algo que desmoraliza quem está deste lado, é que é terrivelmente difícil ter leitores se escrevemos mais que dois parágrafos neste país! Ouço sucessivamente dizer de bloggers que se obrigam a cortar texto porque isso cansa as pessoas!!! Isso para mim, é uma desilusão completa, pois eu lia tudo o que me caia nas mãos em miúda, da sede de ler que tinha, do prazer que isso me dava. Seja para O Boticário ou não, a minha necessidade em ter um blog, vem da necessidade vital que tenho de escrever. E apesar da indústria e das marcas preferirem o speed blogging, tenho apoio e incentivo por parte d' O Boticário na extensão e divagação latentes aos meus textos. Que são pequeninos, já se nota. 

 

 

 Por tudo isso, e porque não apenas o factor humano serve para se aguentar 27 anos que se apresentam como apenas o começo, os produtos também ajudam a conquistar o lugar que é deles, dentro do mercado mais competitivo do mundo. Eu não costumo dizer para irem a correr comprar (e se alguma vez o disse, lembrem-se que eu escrevo de madrugada, depois de 8h de atendimento ao público), mas aconselho dentro do que uso e gosto e digo que devem pelo menos dar uma oportunidade, entrar na loja e fazer uma vistoria, cheirar, sentir, experimentar. A cosmética serve essencialmente para nos dar qualidade de vida, para nos abraçar no seu calor flúido e nos envolver de um aroma que nos faz sonhar. Isso é possível e é feito, aqui, no país de onde as empresas fogem, faz hoje 27 anos sem arredar pé.

 

 Vão ver, no decorrer deste dia, vários posts deste género, destas demonstrações de carinho e de votos de um feliz aniversário. Não somos pagas nem obrigadas a fazê-lo mas se nos é possível dar mais brilho hoje a quem abrilhanta a nossa vida todos os dias com incentivos ao amor próprio na sua página de facebook (a ferramenta utilizada para conversar, esclarecer e chegar a mais e mais pessoas), que se danem as más línguas e as doutoradas que minimizam um post ligado a uma parceria. 

 

 Vão ainda ver este vídeo...

 

 

 Nele se encerra o resultado de um passatempo promovido pela marca para parabenizar 10 mães, 3 das quais, ficando nos lugares cimeiros do resultado, foram envolvidas elas também no espírito O Boticário de forma muito especial. Diz que as pessoas não se queixam do que recebem de graça. Mentira, que muitas vezes o fazem que eu já vi. Aquilo a que eu assisti aqui, foram mulheres que foram postar na página a agradecer toda a experiência vivida, que não apenas gostaram do que ganharam, como foram felizes ao usufruir de tudo aquilo a que tiveram direito, a ficarem emocionadas e tocadas com tudo e todos quantos as rodearam. Parabéns a elas, que transformam o mundo à sua volta, um dia de cada vez, um gesto de cada vez.

 

 E novamente, Parabéns O Boticário. Por nunca desistires de sonhar e por ficares sempre connosco!

 

*post publicitário