Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

Run from It! :)

 Olá!

 

 Sabemos que a chuva é boa para muita coisa, que faz bem à Natureza, que dela vem o sustento natural das plantas e das flores, das árvores e dos alimentos. Ainda assim, quando nos encontramos no meio dela, carregados com as compras, as malas, as mochilas e quase sem mãos para sequer um guarda-chuva, a graça evapora-se por entre a atmosfera húmida. E convenhamos, por muito handy que seja um guarda-chuva travel friendly, a coisa não corre tão bem quando se vive onde o vento sopra furioso, o cabelo esvoaça e sim, o acessório vira, parte e literalmente voa.

 Eu pessoalmente faço distinções entre o que são os guarda-chuvas que posso usar em que tempo for e aqueles que só dá para me proteger ligeiramente. E quando munida do de fraca resistência, me vejo frente a um temporal rezingão, o trabalho de o abrir só para o ver destruir-se, não compensa. Nessas alturas, venha a chuva a banhar-me toda.

 

 Não acho que seja a única assim, o tipo de pessoa que corria fugindo da chuva, muitas vezes com as compras como apêndice. Claro que hoje em dia não corro, apenas posso mancar um pouco mais depressa que o normal mas vejo muita gente a correr, mão sobre a cabeça baixa, quase sem ver por onde vai. E metade dessas pessoas arriscam-se seriamente a cair redondas no chão devido ao calçado escolhido. Sim, depois do acidente dou muito mais importância onde piso e como piso, a forma como ando e se o meu calçado está apto para me acudir. E não, não ligo ao facto de ter os ténis manchados ou se os uso até à exaustão, o que eu preciso é que eles não escorreguem e sejam confortáveis para as alturas em que o meu pé ainda se lembra de inchar indecentemente. Vão ser agora substituídos é certo mas não vão fora, tivesse eu feito isso quando a minha mãe me disse que eram feios e estavam velhos e não tinha tido um calçado tão apropriado para a minha lenta recuperação. 

 

 Então, sobre o tema do post, fugir da chuva, vou dar-vos exemplos de ténis aptos para correr. Simples e prático, just like the doctor ordered. Claro que se quiserem correr com salto agulha de 8 cm, a escolha é vossa, cada um como cada qual. Aliás, o ideal seria mesmo não correr perante a chuva (já disse que fiquei ligeiramente traumatizada após partir o pé? nota-se pouco 'né?).

 

Opá, têm cor de rosa e uma gaja sem um pouco de cor de rosa na sua vida não é gaja por inteiro, sendo que a gaja a quem me refiro sou eu mesma. Têm aquela tecnologia da marca que ajuda a tonificar as pernas mas não me perguntem como e se resulta, eu percebo mais de queijo da Serra.

Easytone Reedge por Reebok 80,00€

 

Posso ser honesta e dizer que a primeira coisa que me vem à cabeça ao olhar para estes ténis, é uma nave espacial ou vão dizer que o facto de deter parcerias tolda o meu pensar ao ponto de inventar correlações? Quem não quer ser julgado não julga ou então quando o é, aguenta com isso porque se prestou a tal. Não deixem de usar uns ténis prateados por receio do olhar de outros e seu preconceito. Mas vá, trocava-lhe os atacadores para uns brancos ou mais prata, gosto do contraste no símbolo mas nem por isso nos atacadores.

Free Run (+) 2 por Nike 120,00€

 

E claro que as pessoas que não saem da sua zona de conforto também têm direito a opção de escolha dentro do seu género. Claro que aqui entra a parte em que aquilo que é usual ou usável para quem quer que seja, é algo bastante pessoal, não somos todos exclusivamente low cost ou high end, somos um pouco de tudo, mesmo que haja quem pretenda parecer mais do que ser. Por isso, pretos sim senhor e com sola branca também, mas com apontamento prata de lado, para dar o ar à coisa.

SL Seduction M por adidas 104,00€

 

 Agora corram e fujam dela, dessa chuva celeste que invade as frestas das ruas e das casas, que se infiltra no único buraquinho do casaco impermeável, que bate às janelas como se fosse gente a chamar por nós para ir brincar para a rua. Ou então quedem-se por entre ela. 

 

 Beijoo :)

 

*post publicitário

1 comentário

Comentar post