Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

O Mundo ao Ombro :)

 Eu, mulher me confesso: ando com o mundo atrás de mim, alapado a mim, carrego com ele todos os dias.

 

 Não, não estou a falar do peso do mundo em concreto, se bem que por vezes o peso que carrego aos ombros se assemelhe a um saco de calhaus bem aviado. Carrego quase tudo o que posso na minha mala, aquilo que acho que devo ter sempre comigo e aquilo que pode dar jeito numa eventualidade, chamem-me MacGyver with Lipstick mas eu cá prefiro estar sempre a modos que preparada para quase tudo.

 

 Uma vez, depois de um dia/noite de trabalho e a caminho de casa, fui abordada por dois homens que me pararam no meio do caminho. Imaginem lá a minha cara à uma da manhã (sim, para alguns de vocês fazerem o desfile do carrinho de compras no hiper depois da meia noite, há muita gente que à uma da manhã ainda não chegou a casa) a olhar para dois marmanjos e a pensar que aquilo podia correr mal. Não, os senhores só precisavam de papel e caneta e segundo eles, dentro das malas das senhoras encontra-se de tudo. A bem da verdade, caso fosse para correr mal, a minha mala seria uma óptima arma de defesa e ataque.

 Quando fui renovar o meu bilhete de identidade, já há alguns anos e o senhor me pediu o antigo que eu não tinha, disse-lhe que o tinha enfiado na mala e nunca mais o tinha visto (inserir soundtrack dos X-Files aqui pf). Perante a minha mala aberta no balcão, ele fez um olhar de quem entendeu perfeitamente que uma mala de mulher consegue ser um buraco negro que suga objectos com mais eficácia do que um vampiro suga sangue.

 

 Cada vez que limpo a mala, tiro material de lá de dentro que dava para soterrar uma farmville da vida e é aterrador como conseguimos lá enfiar tanta coisa, mesmo que não sejam malas grandes. Que eu gosto delas espaçosas mas as costas pedem que não as mate sem necessidade. Ainda assim, poderá ser lá encontrado um incompreensível número de lenços de papel, recibos variados, perfume, desodorizante, carteira, porta-moedas, cartas, agenda, bloco de notas, chaves, telemóvel, porta-documentos, fones, canetas, maquilhagem, creme de mãos, revistas, livros, garrafa de água, máquina fotográfica. Depois tenho de andar a tentar ter mão nisso e meter coisas para o saco do almoço do trabalho, para ver se não dou cabo da coluna antes de tempo. 

 

 

 Dou preferência a malas pretas, call me boring 'cause i really don't care. Lá vou mudando por vezes mas volto sempre ao que conheço e gosto. E já que vou lá enfiar o meu mundo todo, mais vale que seja ao meu gosto e não ao andamento das tendências de outrem. E eu nem tenho muitas malas e só as troco quando é realmente necessário, já me chega o trabalho de a limpar, quando mais andar a trocar para combinar com a roupa. Sim, não sou nada fashionista, venha de lá a novidade.

 

 Gostavam de ver o que levo na minha mala? Depois de a limpar um destes dias claro, que eu ainda tenho alguma vergonha na cara. Não é muita mas é alguma.

 

*post publicitário