Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

#especialBoti28anos: A Essência são as Pessoas :)

 

 Hoje é, finalmente, o dia de aniversário d' O Boticário em Portugal! Faz hoje 28 anos que chegou até nós o odor, a textura, a cor, o sorriso e o jeito de ser brasileiro. Esta semana o blog esteve total e dedicadamente virado para o universo boti, os meus produtos preferidos, as minhas compras, a minha vontade de dar as informações que se devem dar para além do óbvio. Não sei se o fiz, não sei se o consegui, se fui traída em essência por tagar os posts como publicidade mas eu não acredito em dizer algo e fazer diferente, eu acredito em esforço, em determinação, em carinho e principalmente, eu acredito que, embora a publicidade em blogs seja de largo alcance por um preço relativamente baixo, isso não é razão para se dar pouco de nós quando a transmitimos, quando passamos a palavra que vem de alguém com quem mantemos parceria, que nos respeita e a quem nós respeitamos.

 

 Não me importo de dizer, tenho alguma sorte. Porque tenho quem veja além do óbvio e me acarinhe por ser quem sou, que se enche e me enche de orgulho com cada palavra. Quem apoie os meus devaneios e que me veja mais qualidades que, na minha própria modéstia, eu não vejo ou vejo de forma menor. Ter quem acredite em ti e confie em ti plenamente, é de uma sorte tremenda. Assim é a minha relação com O Boticário e a equipa que está por trás da máquina, aquela que não vemos nas lojas mas que trabalham para que, quando lá chegas, a experiência seja a melhor possível.

 

 Com isto chegamos a outras pessoas, as das lojas. Em geral, a opinião do serviço nas lojas portuguesas da marca é boa. E isso enche-me de alegria porque daquilo que eu leio, no Brasil, há muito mais queixas em relação ao tratamento em loja. Talvez essa minha percepção seja influenciada pela escala de lojas, blogs e disseminação de informação que acontece por lá, que é em muito superior à nossa. Vejo no entanto, algumas queixas por aqui, de vendas forçadas ou pressão nos pontos de venda. Acho que não há perfeição em nenhum serviço e acho que podem e devem se queixar sempre que forem mal atendidos, é um direito vosso. Se bem que eu sou um tanto preconceituosa com clientes queixosos, eu já tive um homem aos berros comigo porque dizia que eu fiz uma jogada no talão dele quando aquilo que lá estava era apenas o desconto a ser efectuado, mas isso é água para ser passada noutra ponte.

 

 Acho que somos muito mais rápidos a falar mal e a queixar mas que quando é vez de elogiar, de falar bem, o povo se comporta como se aquilo fosse só e apenas a obrigação de quem está ali, sem ver que quem lá está, está a ir mais além das suas funções ou obrigações para atender melhor. Não minto, sei que sou novamente, uma pessoa de sorte. Trabalho no mesmo local que a loja onde vou se situa, sempre que desço as escadas rolantes passo por lá. No entanto, se lá entro mesmo que seja só para olhar as prateleiras, se cumprimento as pessoas sempre que passo mas não entro, isso tem muito mais a ver com a minha forma de me relacionar com quem lá está, a vários níveis. Porque quando eu lá vou, de máquina fotográfica em riste ou de caderno e caneta a tiracolo, consigo vir de lá satisfeita e com as minhas dúvidas respondidas. Quando as pessoas vão um pouco mais além e conseguem que eu tenha os meus produtos preferidos sem eu ter de ir para longe comprá-los, eu posso dizer que tenho a melhor loja do mundo. Quando consigo conversar com as pessoas mesmo sobre produtos que ainda não chegaram mas receber a opinião sincera delas sobre os mesmos, independentemente da vontade de uma venda ali, eu sinto-me querida, sinto-me respeitada, sinto que não me olham como a blogger que só cá vem buscar coisas de borla, ali sou a Linda, ponto final. E quando me deixam um pouco para ir atender alguma cliente, sinceramente não me acho de parte, não acho que seja desprezo porque quando vou como cliente, sou o centro do mundo de quem me está a atender e acho que é mesmo assim que deve ser.

 

 As pessoas perguntam-se, aquelas que não vêem na marca aquilo que eu vejo, o porquê de tamanho sucesso. Perguntam e respondem, dizem que é porque apostaram em dar montes de produtos a bloggers desde há alguns anos. Não nos enganemos, as bloggers têm sido uma mais valia para a marca, o passa palavra tem sido grande e em vários casos, determinativo no sucesso que a marca é hoje em dia. Mas isso de nada serve se os produtos não forem bons ou o serviço ficar aquém. Para mim, tanto ou mais do que os cheiros e cores, estão as pessoas como face da marca, a trabalhar para que eu veja no meu local de trabalho, tantas outras com sacos verdes e rosa, cheios de um contentamento que apenas vem de teres o que queres da maneira como queres ter.

 

 Uma vez um quadro alto da marca, em resposta a uma pergunta de uma blogger disse que eles não mentem a quem com eles trabalha, que dá trabalho, que o volume vai ser grande mas que as motivam de todas as formas que sabem e podem, que as acarinham. E eu vejo-as assim, motivadas, sorridentes, divertidas. Ir à loja consegue deixar-me muito bem disposta, deve ser por isso que não consigo ir lá apenas uma vez por mês e sempre que consigo ir a outra loja também vou.

 

a equipa com o fundador da marca, o Dr Miguel, que não descansou enquanto não tirou esta foto da última vez que cá esteve, a provar que as pessoas contam sim e muito

 

 Estes 28 anos são delas: das pessoas como essência, como membros vitais. As de front e as de back office. As pessoas, como seres humanos a trabalharem em ser o que de melhor conseguem ser. A essas pessoas, Parabéns pelos 28 anos! Para o ano a lamechice continua :)

 

 

 

Clique na imagem e leia os FAQ's!

1 comentário

Comentar post