Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

Monday Crush #2

 Olá!

 

 O crush desta segunda é um agrupamento de palavras e frases, parágrafos e vidas vividas na mente de alguém. Não é segredo que eu gosto de ler e não é segredo de que género eu gosto mais, gosto de policiais mas dentro disso existe algo que acontece aqui: a acção, o twist de direcção que está à distância de uma linha.

 

 Estive indecisa, recentemente e por conta da já terminada feira do livro no Continente, em relação a qual novo membro adoptar. Em boa verdade, tenho lido pouco nestas últimas 4-5 semanas e queria algo que me deixasse enamorada. E consegui-o, por menos de 9€.

 

 

 O Bairro da Estrela Polar, de Francisco Moita Flores, livro de 2012 que originou uma série de televisão da qual conheço publicidade mas nunca vi, foi um livro que li quase sem fôlego, a correr, dentro do comboio, na hora de jantar, combatendo o sono numa véspera de trabalho. Sei sempre quando estou a gostar muito do livro pela hora a que me deito mesmo que tenha que acordar cedo.

 

 Com O Bairro da Estrela Polar eu vi-me torcer pelos supostos maus da fita, aqueles que, não obstante os corpos e negritude que deixam como rasto, o conseguem fazer com algum bem à mistura. Aqueles que se enredam nas únicas vidas que conhecem, que se sentam nelas porque a linha do horizonte esconde saberes que não se acham capazes de enfrentar ou domar. Este livro apenas me lembrou algo que eu já sabia: nunca somos 100% maus ou 100% bons e mais importante que isso, a miséria que impera nas ruas e na lei do mais forte ou mais rápido de gatilho, não justifica os inocentes que são arrastados com ela.

 

 Por causa deste livro, quero ler mais Francisco Moita Flores e quero ver a série O Bairro. 

 

 Leiam mais, é dos maiores prazeres que conheço.

 

 Boa semana! :)

1 comentário

Comentar post