Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

Sobre Stocks...

 Olá!

 

 Hoje o post é só texto e presume-se extenso, apesar de isso ser o pão nosso de cada post. Hoje quero falar sobre stocks.

 

 Ao ver as reacções a duas situações distintas e o quanto as pessoas conseguem ser idiotas, pus-me a pensar melhor nesta coisa de termos variados produtos em casa, sejam de que espécie for.

 

 A primeira vez foi quando uma blogger brasileira, profissional da área, mostrou a estante da casa de banho, repleta de cima a baixo com produtos. Aqui há que ter em atenção que não estamos apenas a falar de uma blogger, mas também de uma blogger profissional num país mais avançado nesta indústria, sendo que não apenas recebe montanhas de lançamentos para testar, como também adquire alguns produtos de que gosta ou sobre os quais tem curiosidade.

 Quando abrem um blog, o que procuram? Conteúdo e variedade. Se assim o é, é natural que o que está por trás disso é uma parte das nossas casas com vários produtos virados para o assunto primordial dos blogs que escrevemos, é matéria para criar conteúdo, chega a ser trabalho e dá trabalho.

 Unir as vozes contra isso é ser-se idiota porque são as mesmas pessoas que não querem que a blogger repita os mesmo produtos, os mesmos favoritos.

 

 A segunda vez foi quando uma blogger portuguesa com um blog sobre poupanças, postou a sua despensa. Acho que somos, como povo, muito rápidos a apontar o dedo às escolhas de compra que os outros fazem com o dinheiro que ganham e isso não apenas é idiota como é errado, feio, mesquinho e sinónimo de tacanhez. Cada um compra para comer, lavar-se, perfumar-se e beber, o que bem entende, principalmente se não anda a chular subsídios sem ter direito aos mesmos. 

 Na casa de cada um, cada um manda e pode, principalmente se gastou/rentabilizou bem o seu dinheiro e não ficou à espera de ganhar tudo de mão beijada, porque participar para ganhar produtos que até fazem parte daquela despensa, participa-se com as contas da família toda, comprar é que é exagero. Pois, 'tá bem.

 

 Da minha parte, enquanto blogger mas também como consumidora, sou adepta de stocks.

 Na minha faceta blogger e em termos de beleza, a indústria ter sempre tantas novidades, faz com que adquira vários produtos e tenha que fazer escolhas na altura de usar, além de receber alguns deles. Isso faz com que tenha mais produtos que quem não seja blogger ou quem não preste muita atenção ao tema. E claro que rapidamente se eleva isso ao exagero mas o que é exagero para uns, é estratégia de consumo para outros.

 

 Já na minha faceta de consumidora, pretendo ter sempre a minha despensa cheia, seja de esparguete, conservas de que goste, leite, refrigerantes, natas, azeite, óleo e tudo quanto necessito para cozinhar/comer/ter uma qualidade de vida que seja do meu agrado. A adicionar a isso, pretendo ter sempre desodorizantes fechados para substituir os que se acabam, assim como champôs, condicionadores, máscaras capilares e geles de banho. E já agora, passo a vida a comprar material escolar, não faz parte da minha vontade ser espremida em Setembro, quando muitos preços até ficam menos apelativos (ainda há pouco mandei vir um estojo novo para o rapaz). Na realidade doméstica, sou mais do que apologista de stocks, embora tenham de ser previamente estudados consoante a estratégia familiar de cada um. Comprar em quantidade quando o preço é bom, seja esparguete, cadernos ou bifes de peru, permite uma gerência eficaz que não nos deixa apeados sem aquilo que necessitamos. Quem diz à boca cheia "na minha mesa nunca faltou pão", apenas está a traduzir uma boa gestão de stock nesse âmbito.

 E a bem da verdade, todos fazemos stocks, apenas uns compram 2 pacotes de arroz para a semana e outros compram 10 para o mês. Se isso é feito em promoção, a rentabilização do dinheiro é enorme e permite que se deixe dinheiro de parte para comprar outros itens que não são existenciais. Ou outra coisa qualquer para o qual o vil metal seja necessário.

 

 Agora, vou só ali olhar para a minha despensa e depois admirar todos os meus cremes de corpo. Não levamos nem dinheiro nem coisas para a cova, mas quem disse que a vida tem de ser sem sal ou sem cor só por causa disso? As pessoas queixam-se em demasia do Passos e da austeridade e da Troika mas conseguem ser muito piores para o vizinho do lado, tanto porque ele consegue viver, comprar e sorrir mesmo com todas as contigências, como apenas porque sim. Barafustem da má ética de trabalho que prolifera por esse país fora, nos vossos locais laborais ou nos media. Agora desdenhar de quem tem álcool em casa que lhe diz ir durar para um ano mas que na vossa casa vai abaixo num almoço familiar por exemplo, opá vão-se lá catar!

 

Não é a minha porque eu não tenho este espaço todo :(

 

 Ter um stock rentabilizado e adaptado a nós e às nossas necessidades é um trabalho que requer inteligência, senso e um investimento monetário de mais dinheiro em certa ocasião, mas que é menor quando comparado ao que seria gasto em várias compras para o mesmo total de artigos. Para o caso de não quererem puxar pelo cérebro, de não saberem como fazer ou de, infelizmente não poderem comportar financeiramente a elaboração de uma despensa com provisões, não usem isso como desculpa para apontar quem o faça.