Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

[People] A publicidade à diversidade corporal faz arder os olhos e os cérebros

 Go Naked é o nome da campanha levada a cabo pela Lush para a consciencialização do desperdício existente com as embalagens dos produtos que consumimos, tanto porque algumas não são necessárias e determinantes para o produto em sim, como porque ocorre um excesso na sua formulação, não sendo a embalagem, quando necessária, o estritamente aplicável.

 Em 2007, ao meio-dia exacto do dia 12 de Julho e em 55 cidades do Reino Unido, as equipas de loja saíram à rua, vestidas apenas com aventais onde se encontrava a frase "Ask me why I'm naked.". Essa acção serviu claramente para chamar a atenção e com isso direccionar o rumo de interesse para o ponto em questão.

go-naked-2007-lush-jardins-suspensos.jpg

 Este ano, de forma a continuar a defender a sua posição, a marca lançou novas imagens associadas, desta vez na Austrália, cuja principal é esta.

go-naked-lush-jardins-suspensos.png

 Quatro mulheres com corpos distintos, sem retoques, sem pejo nem embaraço. Quatro funcionárias Lush que abraçam as causas da sua marca e lhes vestem a camisola, neste caso, que a despem. A adicionar ao facto de ser maioritariamente uma campanha que visa, como já disse acima, o posicionamento em relação a embalagens e o seu efeito negativo no planeta, a marca quer passar uma imagem positiva em relação ao corpo, ao nosso corpo real, o que tem celulite e marcas, que nos acompanha ao longo da nossa vida e que reflecte quem somos, de onde viemos, para onde vamos. E o nosso corpo não veste photoshop, não respeita as medidas ideais proclamadas por quem não tem direito de o fazer. E sentir-nos bem no nosso corpo é uma parte muito grande e importante da nossa auto-estima.

 

 Derivado a quatro queixas oficiais, a entidade reguladora na Austrália atribuiu o adjectivo de "pornográfica" a esta campanha e fez com que fosse retirada. As queixas defendiam que havia nudez em excesso e que era de fácil acesso a crianças. Um dos queixosos dizia que as mulheres estavam nuas e que tocavam em outras mulheres nuas, não sendo algo que queria que os filhos vissem no seu passeio semanal no centro comercial.

 

 Posso gritar? A sério, deixem-me gritar.

 

 Eu sou mãe e como mãe, a nudez a que os nossos filhos são expostos é importante.

 Mas o que é mesmo importante é diferenciar o que é nudez pornográfica, que é a nudez pelo acto de tirar a roupa e gerar atracção sexual. A pornografia assenta estritamente na sexualidade, tanto que se ela não acontece, passa a ser uma arte erótica ou boudoir.

 E depois temos a nudez como forma contestatária, como marcação de posição referente a algo que não tem atenção suficiente ou cujo foco possa ser equiparado com a nudez. Não usar peles e preferir andar nua. Usar produtos sem embalagem e tirar a roupa como representação disso. Será que dá para perceber a diferença?

 

 A nudez, por si só, não é algo a que os nossos filhos devam conotar como errado e parte de nós educá-los nesse sentido. Porque é importante que eles se sintam bem consigo próprios, na sua pele, e o seu corpo nu faz parte integrante disso.

 

 Para mais, a conotação de que mulheres nuas não devem abraçar outras mulheres nuas, soa-me homofóbica e isso dá-me comichão no céu da boca. Não, não costumo abraçar as minhas amigas em pêlo mas isso é tirar a imagem fora do contexto dela. E é feio que se farta. E é falta de educação. E estúpido. 

 

 Quando olham para o futuro, para o mundo daqui a umas décadas, provavelmente sem nós para o habitar, imaginam o quê?! Pessoas escondidas porque são gordas, mutiladas porque são gays, apedrejadas porque praticam nudismo?! Que amanhã querem para os vossos filhos, para os vossos netos? Querem que sejam eles, na sua forma de serem especiais e únicos, apontados como diferentes e ostracizados como tal, cruelmente tratados por isso? Desejam que eles vivam num mundo onde as diferenças são tratadas como afrontas e ataques?

 Isso começa na vossa casa. Na forma como os ensinam que amar alguém do mesmo sexo não é um desvio, que todas as formas corporais merecem o mesmo respeito, que há sempre pessoas que pensam e agem de forma diferente de nós e que é ok não o compreender mas que se isso não assenta em violência ou maus tratos, é tão válido como a nossa forma de viver.

 

 Com tantas campanhas publicitárias espalhadas por aí, vocacionadas e estabelecidas em cima do sexo, do homem em cima da mulher, subjugando-a e fazendo dela o seu fantoche, seria hilariante ver que a campanha que é retirada por demanda popular é aquela que atende a aceitação corporal fora do que é carimbado como ideal.

 Seria hilariante se não fosse só triste.

 

 Obrigada Filipa por meteres este assunto no meu caminho e por achares que o que eu pudesse pensar e escrever sobre ele fosse algo que quisesses conhecer.

 Aqui fica o post da Cláudia sobre o tema. Aqui e Aqui estão links de referência para a elaboração deste post.

[People] Sobre o primeiro dia de sacos pagos

Sou a favor de sacos pagos, sou e não tenho vergonha. Não acho que seja errado responsabilizar mais as pessoas em relação aos seus maus hábitos e penalizá-las onde lhes dói. No bolso.

 

Ontem, cerca de metade dos clientes vieram preparados mas muitas das pessoas a quem perguntei se iriam desejar saco, olharam para mim feitas atrasadas, como se eu as tivesse ofendido. Ameaçaram deixar de ir ali às compras e passar a ir ao Pingo Doce. Eu, fardada, não posso rir feio na cara das pessoas pois não? É que vocês têm de me dizer em que PD da vida se abastecem e vos dão os sacos, para isso servir de razão de troca de local de compras. Até ao final do dia 14 de Fevereiro, de cada vez que deixei de ter sacos de congelados gratuitos, levei com bocas e uma frustração hedionda, como se aquele produto, que sempre foi uma oferta, fosse-a de forma obrigatória e regulamentada, e sim, já me disseram isso. Outra vez, rir alto, fica muito mal? Mas espera, que esses sacos eram para congelados mas até para levar bacalhau seco eram exigidos.

 

As razões para esta lei nova, aqueles números astronómicos de sacos gastos por cabeça, foram alvo de críticas e dúvidas. Eu acho que as pessoas não são um saco mas são bem para cima de 500. Havia clientes a meter um artigo por saco e a reforçá-lo "porque preciso de sacos para o lixo". E depois disso, ainda queriam um saco plástico dos grandes. Outro item de oferta gratuita que era reclamado como obrigatório. E ai da estúpida da operadora de caixa que se recusasse a dar, mesmo que o cliente não tivesse direito ao mesmo! Essa gente não faz nada, estão ali uma catrefada de horas sentadas (tantas vezes mais de 5h seguidas sem comer ou urinar, mas o quê qiue isso interessa?), nem embalam tudo, não lhes agarram na mão, não lhes lembram daquilo que é responsabilidade deles saber/pedir/lembrar. Uma ameaça de reclamação quase sempre chega para a empresa vender a integridade que exige que tenhamos. 

 

Sabem qual é uma das maiores razões para termos os sistemas deficientes de justiça, de educação, de tudo e mais alguma coisa neste país? A mentalidade, o exigir ter direito àquilo que não se tem direito algum sobre, a forma como se trata os demais. Andam a roubar sacos no supermercado porque o Sócrates tem milhões escondidos. E se não se tem direito a algo, levá-lo na mesma é uma forma de roubo. Devolver um décimo de um bolo de aniversário porque "sabia mal", para que a totalidade do valor lhe seja restituído, ou metade de uma moira porque se ficou cheio com a parte que comeu na zona da restauração, é de um povo que merece todo o mau karma que recebe. Pior são as empresas que tudo fazem para bajular este cliente que sai de casa com o intuito de enganar e maltratar as pessoas que o atendem. Se cada um agisse com integridade, com respeito por si e pelo próximo, seriamos melhores e por conseguinte, teríamos pessoas melhores a gerir o nosso país. Até lá, vai desejar saco?

[People] Adeus Whitney

 

 Morreu Whitney Houston de 48 anos, sendo a causa ainda não determinada. Fonte

 

 Todos nós sabemos que a cantora tinha problemas de droga mas ainda assim, faz-me impressão a idade com que morre uma mulher bonita e talentosa, da qual recordo tantas e tantas músicas maravilhosas.

 

 Tenho sentimentos mistos pois apesar de ter alguma pena, ela era mãe como sou eu também e isso por si, seria motivo suficiente para deixar a droga, melhor, para lá nunca ter entrado.

 

 Yada yada toda a gente merece uma segunda oportunidade. Não concordo totalmente.

 Só quem sabe o que é ter um pai ou mãe a ressacar ou a fazer algo inimaginável por estar drogado e sofrer todas e mais algumas consequências disso, pode ter uma palavra a dizer.

 Acredito que a partir do momento em que se escolhe ter filhos, que eles não pedem para nascer, faz-se uma escolha para a vida. Um amor para a vida. Por um vício acima do bem estar deles, é um acto desprezível e inexplicável. Seja a Whitney Houston ou a Maria Cachucha.

 

 Portanto, tenho pena sim, não o consigo evitar sempre que vejo alguém a desperdiçar a vida.

 

 Mas tenho mais pena da filha e espero que o resto da vida dela seja livre de sofrimento. E de vício.

 

 

Adeus

 

[People] Ter Gordura no Cérebro, por Lagerfeld

 Olá :)

 

 Karl Lagerfeld, como editor convidado do Jornal Metro disse: "Ninguém quer ver mulheres com curvas generosas." Fonte e foto

 

Pareces eu a pedir para teres pena de mim e não me dizeres coisinhas tão...

 

 

 Oh Karl, mas espera aí, tu (sim, sim, vou tratar o homem por tu, já que ele sabe mais de mim que eu) porventura sabes o que vai na cabeça dos milhões de habitantes deste nosso estimado planeta?!

 

 Guru da moda ou não, a mim ninguém me diz o que gosto de ver, que eu tenho umas coisinhas que fazem falta a muita gente: cérebro e personalidade. Se vai de acordo com o que os outros gostam ou admiram, isso são contas de outro rosário, não posso nem quero controlá-lo.

 

 Além de que, o conceito de curvas generosas, varia de pessoa para pessoa, para ti pode ser uma mulher com 48kg e para mim já terá de ter 85kg.

 

 A Adele é gorda, dizes tu. Os homens Russos são feios, dizes tu. Quem aparece nas revistas é bimba, dizes tu. Os Gregos e Italianos têm hábitos nojentos, dizes tu.

 

 

 1º: Para criticar alguém, é preciso olhar para si mesmo, ser auto-crítico. Já tentaste? Não transparece.

 

 2º: Há homens feios e bonitos em todas as nações do mundo, depende sempre de quem vê mas não é preciso andar de dedos apontados, ou serão farpas?

 

 3º: Apareces em revistas. Então és bimbo, certo?

 

 4º: Hábitos nojentos... Que tal: preconceituoso? Para mim é um hábito nojento.

 

 

 Ter um certo estatuto e uma infindável legião de seguidores, não dá o direito de ser cruel a ninguém, principalmente quando o parecem estar a fazer por desporto. E ainda por cima, levar todos no barco consigo. Opinião é coisa pessoal, generalizar o que se sente para tentar "não ser sozinho" é degradante.

 

 

 A Adele tem orgulho em ser como é e não se preocupa com rotulagem. Quem serás tu para o fazer?

 Sei lá se os homens Russos são todos feios, nunca tive tempo para perder com esse tipo de divagações. Nem invejo quem tenha.

 Quem aperece em revistas, ultimamente, tem sido muito trabalhado com Photoshop, demais até. Terá a ver com sentidos de moda irreais como esses que apregoas? Não sei mas não gosto e eu gasto dinheiro nas revistas, não as recebo de borla, portanto sinto-me no direito de ter uma palavra a dizer sobre o assunto. Mas isso não é ser bimbo.

 Hábitos nojentos à escala enumerada, é uma coisa daquelas muito generalizada e demasiado abstracta para desenvolver.

 

 Não sou santa nem quero, tenho mau feitio como o raio e não me envergonho. Ah, e sou um bocado gozona. Serei sempre a minha maior crítica. Já admiti que por vezes sinto inveja e acredito que há um tipo de inveja que é boa porque nos faz tentar ser melhores. Não acredito em rótulos baseados em género, raça, religião, tendência sexual, peso, ou idade.

 

 Mas sou contra homens que batem em mulheres, contra mulheres que usam das partes intímas para subir na vida, contra todos os brancos e negros que vão ao lugar onde trabalho roubar, contra os genocídios cometidos em nome de um Deus que não o pediu, contra todos os homossexuais que querem tanto ser diferentes que não se importam de tratar mal quem os atende por acharem que estão a ser julgados, contra as magras que olham com cara de nojo e gozam as mais gordas, contra as gordas que se baseiam nisso para não ser melhor como pessoa, contra os novos e os velhos que são mal criados só porque sim.

 

 Não me confundam com uma ressabiada.

 Tenho trabalho, um filho maravilhoso e um namorado que me atura de livre vontade. Tenho sonhos e metas, sou feliz na maior parte do tempo.

 

 Sejam felizes também.

 

 

 

 

[People] O sarcasmo faz bem às rugas

 

 

 Parte sarcástico-irónica do post.

 

 Vocês nem imaginam o que recebi na caixa de correiooooo!!!!

 

 O novo Catálogo da La Redoute!!!

 E nem precisei de pagar, eles mandaram-me de borla, foram tão mas tão fofiscos e cenas que quase me vieram as lágrimas aos olhos!!!!

 

 A capa é assim, não tirei foto porque o meu pai congelou-me a mesada since forever e a máquina não tem cabo e as fotos by Nokia 5228 são a vergonha do costume e não se quer cá coisas oferecidas desfocadas, certo?

 

 Roam-se todas as que não receberam este lindo exemplar limitado (a uns milhares) directamente sem pedir no site.

 

 'Tá bem que sou cliente há mais de 10 anos e já lá gastei uma pipa de massa e o que faziam melhor era ter mandado roupa mas what a hell, melhor que isto só na farmácia!

 

 E porque o chorrilho do olha o que me deram sem ter ganho nem pago ainda não acabou, no mesmo dia também recebi a nova Cosmopolitan!!!!

 

 Sim, sim, é a versão pocket e é de assinatura, mas ao menos recebi-a logo no dia certo e de manhã, ao contrário de alguns meses em que recebo já uns dias depois de estar esparrachada nos quiosques! E isso merece um YUPI!!!

 

 E é este o desfile possível dos itens que as marcas mandam sem a gente pedir (és mesmo mentirosa páh!).

 

 Parte séria do post

depois de me rir bem à conta do que escrevi, que isto de ter um blog serve para quem escreve como para quem lê e eu preciso de me rir sem menosprezar/criticar cruelmente o estado psicológico da Sónia Brazão.

 

 Eu também mando mails para marcas, claro que mando. Nisto de ter blog e querer dar-lhe visibilidade para que seja mais levado a sério não só pelos que nos amam e adoram no matter what, é um Q que faz falta. Umas vezes levo um Não, de outras nem resposta levo. E é assim que as coisas funcionam.

 

 Podia citar-vos todos os impropérios que me apetecem gritar quando vejo que passam pelo meu mail e não lhe dão sequer tempo de antena. Podia dizer que ai quero tanto ser afiliada de A ou de B ou mesmo de C, mas valerá a pena?

 

 Não tenho cunhas, não peço desculpa por isso.

 

 Quando as respostas positivas chegarem, se chegarem, tentarei ter respeito suficiente por mim e por aqueles que me leiam ainda nessa altura, para não fazer copy paste de Press Releases, para não ser apenas mais uma entre tantas, que se sentam de pernas abertas à sombra da sorte que tiveram e pouco mais fazem do que se gabar de onde foram, com a Y e a W, que são sempre as mesmas em tudo o que é sítio. Se bem que as marcas tenham a sua quota parte de culpa nisto mas aí era um post muita grande people!

 

 Até lá, faço o que me apetece e se me apetece que isto aqui é meu e sou eu que mando. Bem ou mal.

 

 Sejam mais felizes, sim?

 

 

[People] A Triumph e o Photoshop

 Olá :)

 

 Eu ando de Metro e não tenho vergonha, é rápido e chega a quase todo o lado. Em resultado disso, sou sempre abençoada com imagens do meu tamanho aumentado ao raio que parta, de coisas boas e coisas assim-assim. Esta é das assim-assim.

 

 

 E assim-assim porquê?!

 Porque tenho dor de corno e queria ser assim quando fosse grande e não deu? Não.

 Porque acho as mulheres feias com cara de um qualquer alien repatriado? Não.

 Porque ai e tal parecem umas valentes vacas (eu li isso em algum lado)? Não.

 Porque a Lingerie é coisa do Demo? Não.

 

 Sou uma gaja honesta: às vezes dor de corno é coisa que me assiste e dor de corno quando em vez, até é bom para nos mantermos alerta e fazermos melhor por nós, seja de que tipo for, desde que não seja em demasia e faça com que haja gente que não se esforça nem que lhe atirem com caixas para cima dos pés. (quem nunca teve dor de corno uma vez na vida que atire a primeira pedra que eu tenho pontaria para retaliar!)

 Acho que são mulheres bonitas, cada uma ao seu jeito e maneira (assim como somos todas), sendo que isso é relativo e não universal. O que é bonito para mim é feio para a vizinha do lado. E então, vale a pena andar ao estalo?

 Recorrer ao insulto fácil é daquelas coisas que só faz mal à pele, é pior que solário. Não só nos faz mal como nos faz passar por algo que até nem somos. Muito.

 Lingerie é coisa dos céus! Eu adoro estar bem na minha pele, olhar-me ao espelho e gostar de me ver com um conjunto novo. Não compro para o meu namorado, compro para mim. Pois quando nos sentimos sexys, transbordamos isso para os demais. E mesmo quando não, opá que se lixe o mundo que eu preciso de estar em paz é comigo!

 

 

 Então qual é o teu problema com as imagens?!

 O mundo da publicidade é uma merda valente e absoluta (resposta fofinha). Algo que detém tamanho poder sobre a opinião terráquea sobre determinado produto e seus efeitos ou propriedades milagrosas, poderia ser um pouco mais para o conscencioso, não? Eu sei que o sexo vende, mais que não seja Kamasutra's mas é necessário repuxar as formas das mulheres de tal modo que seja uma mentira pura, uma mera prova de que se sabe mexer em photoshop como gente grande?!

 

 Eu já vi a Andreia Rodrigues perto e por muito que ela seja magra, que o é, aqueles efeitos que lhe deram às formas, é um desmérito para com a Andreia que habita em pantufas. Quanto à Luísa Beirão, epá sempre gostei que fosse uma mulher com curvas, acho que fica bem com elas, faz-lhes justiça. Nesta campanha acho-a magra demais para o habitual e faz-me confusão, faz mesmo. Mas também me faria confusão cortar o cabelo pelos ombros quando sempre o usei pelo meio das costas, não sei se me entendem.

 

 Aquilo que me deixa saturadamente agastada, é o epítome atríbuido a este género de corpo, como se fora este, nenhum outro mereça respeito ou devoção. O elitismo das marcas de tamanho xs. A desresponsabilização gigantesca e desavergonhada em qualquer facto nefasto provocado pelas fotos de mulheres magras artificialmente, em mentes fracas de opinião própria, vulneráveis. Já era altura de chamar estes senhores às barras dos tribunais e dizer-lhes que não são estas ideias que queremos que impinjam às nossas jovens, que cada corpo tem a sua beleza e "nicho de mercado" e que não é certo nem bonito que se façam campanhas baseadas em artimanhas virtuais e sombras, para vender cuecas e pára-quedas.

 

 

 Se há coisas mais importantes para resolver nesse mundo fora? Aos magotes! Mas não me aparecem na viagem de Metro...

 

 Beijooo :)

 

 

[People] A Violência Doméstica e o que há a dizer sobre isso

 Olá :)

 

 Aqui a je decidiu ir dar uma volta à blogosfera em busca de coisas que valessem a pena ser lidas e deparou-se com este post.

 

 

 

 

 

 

 Não vi esta campanha em tempo útil e tenho embaraço nisso pois conheço melhor esta realidade do que o que gostaria de admitir a quem quer que seja. É algo que priva todos os seres humanos de dignidade, sejam de que sexo forem.

 E sim, em pleno final do ano de 2011 ainda há um estigma gigantesco em abrir a boca. Vivemos numa sociedade que se alimenta de má língua e fofocas, de casas de segredos mal contados e pseudo-famosos que em nada contribuem para o avanço do país, de foras de jogo mal marcados e de jogar dinheiro fora apenas por capricho enquanto os filhos pouco comem.

 

 Há quem chegue mesmo ao ponto de dizer que se uma mulher leva porrada é porque gosta. Que se se cala é porque quer viver assim.

 

 Sou um ser peculiar, não lido bem com pessoas abonadas que nunca fizeram mais que abrir os olhinhos para tudo terem, acho e acredito piamente que trabalhar para ter algo, é um modo de vida em extinção mas que compensa a alma. O mesmo se aplica a pessoas estupidamente dotadas de cordas vocais que julgam que tudo é preto ou branco no mundo da mente humana. Não é. Uma mulher não leva na cara porque lhe dá um prazer desmesurado! Achar que sim, denota uma falta de senso absoluta e ímpar! Para julgar algo desta natureza, é necessário estar na pele dessa pessoa. Não sabem dar valor, não abrem a boca. Eu sei que é difícil para muito boa(?) gente mas é assim mesmo.

 

 Pior que ser a mão que desafia a humanidade de alguém, é ser a voz afiada de quem não tem respeito por situações sérias e as leva ao banalismo.

 

 "Quebre o silêncio." Não ligue à vergonha e aos dedos dos outros, na APAV poderá encontrar todo o apoio que precisa para ser mais feliz. Em qualquer altura do ano.

 

[People] Eu Alimento, Tu Alimentas, Nós Alimentamos esta Ideia!

 Helloooooo :)

 

 Para quem não alimentou a ideia do Banco Alimentar no passado fim de semana nos super e hipermercados deste país, saiba que agora o pode fazer online, já que não saem de frente do pc à espera que eu poste (não durmas não que ainda pioras das ideias Maria Naísa!).

 

 Portando podem e devem ir aqui e dar o que podem sem a mais serem obrigados. Quem sabe se amanhã não será um de vós a precisar?

 

 

 Ser solidário não é aparecer na capa de uma revista a fazer caridade/publicidade por esse Portugal fora. Ser solidário é receber um sorriso acanhado em troca de uma mão amiga.

 

 Beijo!

 

 

[People] O Mundo está Cheio de Coisas Idiotas e Pseudo-intelectuais #2

 Porquê que eu amo a blogosfera: Porque posso dizer o que penso.

 Porquê que eu odeio a blogosfera: Porque todos os outros também podem!

 

 Confusos? Eu não.

 

 Este meio de comunicação foi criado com o intuito de unificar e partilhar, deixar escrito o que muitas vezes não se atreve a sair-nos dos lábios. E se bem usado, pode ser algo maravilhoso, pois deixar alguém que não conhecemos de lado algum, emocionado ou bem disposto com aquilo que escrevemos, é um feito de tamanho emorme.

 Isto serve para partilhar o nosso eu com o mundo e se não estamos dispostos a tal, de que vale ter um blog, de que vale ter um blog público, de que vale ter um blog que não tenha comentários moderados? Se vamos destratar ou grosseiramente responder a alguém que mesmo não tendo lido tudo quanto escrevemos mas que gostou do que viu e decidiu que aquele era um blog que deveria visitar mais vezes e mesmo seguir, comentou, deixou o link do seu próprio blog e convidou a pessoa a conhecê-lo, porquê que temos um blog? Ser mal educado agora é moda? Sou eu que estou antiquada e não entendo?

 

 Talvez esteja a dar relevo demais ao pouco reconhecimento que as meninas importantes da blogosfera dão à Ana ou Maria comum, que também merece reconhecimento pela entrega de si mesma no seu canto. Mas é necessário falar sobre isso. É necessário dizer às princesas do teclado que todas nós somos princesas também. E muitas de nós temos mais conteúdo numa unha roída do que elas no corpo todo. Pois muitas de nós aliamos esta entrega ao emprego, aos filhos, ao que fazer para jantar e tantas coisas mais.

 

 Não se mede a importância de alguém apenas e somente pela quantidade de seguidores ou comentários cravados de monossílabos que tem. Nem sequer se tem muitas parcerias com marcas de renome. A importância de alguém, aquilo que vai deixar quando parar de querer ou poder bloggar, é a maneira como tratou quem esteve com ela, quem a visitou porque viu o link num blog e depois outro num comentário que leu e que por entre portas e travessas, lá foi parar, a maneira como se sentiu aconchegada ou não ao chegar. É isso que fica.

 

 Fiquem à vontade para deixar o link do vosso blog no comentário que me deixarem, se acharem que devem comentar. Acredito que só nos damos ao trabalho de fazer algo se tivermos vontade. Eu só comento onde quero e quando quero. Mas sei ser agradecida e de entre tantas coisas que aprendi, é que arrogância é um dos piores defeitos que se pode ter.

 

 O meu blog é pequeno? É. Vai ser grande? Já é. Para mim, para quem quiser, para quem entrar e se sentir bem porque eu disse o que me deu na gana ou porque tirei fotos a prémios ou compras ou às unhas. Porque fiz uma tag. Porque mandei alguém para o lado detrás da lua. Tanto faz.

 Entrem, sintam-se bem. E se não se sentirem, tenho pena mas não me mato a pensar em coisas que possam agradar a Gregos e a Troianos, é impossível fazê-lo.

 

 

 Conselho, não de amiga mas de quem passou por uma situação assim: se se sentirem incomodadas com um comentário no vosso blog não vão para o blog da outra pessoa fazer um comentário maldoso como paga. Podem simplesmente apagar o que vos fez enraivecer. Ou, como eu fiz uma vez, num outro blog que tenho, enviar um email educado, a explicar o quanto me desagradou o que disse.

 

 Fazer aos outros o que clamamos não admitir fazerem a nós, é de uma inconsistência atroz.

 

 

 

[People] O mundo está cheio de coisas idiotas e pseudo-intelectuais

 Odeio e abomino gente estúpida e sem consciência!

 

 Dizendo disparates como "NÃO QUERO ESTA GORDA QUE SE DÁ PELO NOME DE POPOTA!", "Essa Popota é uma pouca-vergonha. Gorda.", "é bastante ridícula até, uma má influência, a mostrar as banhas e toda sexy". Ia deixar o link mas acho que não vale a pena.

 

 Vamos por partes, o novo anúncio da Popota diz que ela está no Continente, o que leva à pergunta natural, onde está a Leopoldina? Até aqui vamos bem.

 

 Se bem se lembram, tudo o que era Continente, Modelo e Modelo Bonjour, fundiu-se, passando todos a chamar-se Continente, ainda que uns sejam Continente Bom Dia e Continente Modelo. A empresa optou por esta via, deixando assim de imprimir mais do que um rótulo para o mesmo produto por exemplo, assim como a Jerónimo Martins fez antes, passando todos os Feira Nova a Pingo Doce.

 

 E se só há uma marca, só haverá espaço para uma mascote, não? Eles escolheram a Popota, se bem ou mal, cada um tem todo o direito a decidir e manifestar a sua opinião. Mas há limites. Para mim há.

 

 Eu estou com quem acha que esta nova versão da Popota, muito diferente da inicial com o Livro de Receitas que possuo, é demasiado sexualizada(ninguém me tira da memória a sex tape do Unas com ela) para o público que deverá ser o alvo, as crianças. Como dizia e bem alguém que eu conheço, "Esta Popota não é para animar as crianças, é para animar os papás das crianças!" e até aqui tudo bem. Estes senhores que inventam estas estratégias de marketing, deveriam ser punidos por lei. Aquilo não é publicidade que se faça para crianças e isso deveria ser repensado imediatamente. Até aqui eu estou a bordo.

 

 Mas mando-me ao mar e saio do barco quando isso é transformado num circo que não fala do que é importante falar nesta situação mas sim de apontar como único defeito o peso do bicho. E depois quando finalmente alguém se exalta e diz o que pensa ao invés de concordar com tudo o que lhe é enfiado pelos olhos adentro, é-lhe respondido que era um post irónico. Meus amores, não há nada de irónico em escrever com letras garrafais o que acima transcrevi. É o recurso ao insulto fácil, um erro em que eu mesma já caí quando em vez. No entanto, fi-lo entre paredes e não para um mundo inteiro saber. Mas está bem, cada um frustra as amarguras como consegue.

 

 Julgar os outros pelo aspecto exterior e não pela pessoa que são, é um erro crasso.

 

 E agora eu quero é ver como vai ser a salganhada do Alan com o Javi Garcia. O jogador do Braga diz que 70% da torcida do Benfica é negra. Eu não sendo racista, nem pela cor ou nacionalidade do senhor, acho que ele está a exagerar mas ok.

 

 E vou ver se faço mais uns passatempos que o tempo natalício está aí e as prendas serão diminutas. Como dizia uma outra pessoa que eu conheço "De borla é mais barato.".

 

 

 P.S. Ninguém no seu juízo perfeito e que conduz um comentário bem formado, tem na ideia que um adolescente se identifica com um hipopótamo animado (mega lol) mas sim com a noção, vinda de mais do que uma boca, de que ser gordo é conotado como algo mau, e sim, um adolescente que se encontre vulnerável e que se apoie nestas relações virtuais somente, tem muita probabilidade disso. Mas isso eu explico noutro post bonitinho.

 

 

 Portai-vos bem!