Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardins Suspensos

Jardins Suspensos

Tudo muda, ou quase tudo...

 

 Outubro chegou e com ele chega, porventura lhe apeteça, o esplendor do Outono, o cheiro das castanhas assadas que detesto, o meu aniversário em que sempre chove e este ano até tem direito a 9h de trabalho. Chega o acostumar das rotinas escolares, as saudades do Verão e a mudança de cores, na roupa, nas peles, na maquilhagem. Chegou também a mudança ao Sapo, a qual me vai ser custosa de assimilar, sou avessa a mudanças. Nesta altura, começa também, mais a sério, a preparação do Natal, as edições limitadas, os constantes anúncios de brinquedos, os brilhos nos centros comerciais. Chega o mês denominado de Rosa, em que os esforços na luta contra o cancro da mama se tornam mais visíveis.

 

 Eu gosto de Outubro. Escusado será dizer que eu gosto de muita coisa e nem me importo nada com isso, acho que não acordamos todos os dias de igual forma e se um dia queremos ver filmes, noutro dia queremos ler carradas de páginas, queremos mudar algo no aspecto, queremos conhecer novidades, queremos perder-nos em mares de gente mais louca que nós, queremos fugir dessa gente que nos ensurdece também.

 

 Não sou uma pessoa extremamente culta que possa discutir diversificados assuntos do pé para a mão mas considero-me interessada sempre em expandir horizontes e gosto de cultura em geral e de cultura geral. Apesar de termos um passado tão rico em cultura, acho que podemos sempre ser mais afectos à mesma, podemos e devemos querer enriquecer mais os nossos dias. Vou pouco ao cinema, vejo alguma televisão e leio tudo quanto posso. Mas quero mais. Ainda estou a mudar a minha vida geográfica, a habituar-me a ela e a ultimá-la. Não ajuda especialmente que o homem seja mais caseiro que um eremita mas cozinha, estende roupa, lava loiça e etcétera e tal, não há homens perfeitos. 

 

 Tento traçar planos a médio-longo prazo porque funciono melhor assim mas há coisas que preciso fazer para ontem, tipo as mudanças de alguns (poucos) móveis mas também sou dada a stresses vindos do âmago e está difícil. Se souberem ou tiverem experência boa com alguma empresa de mudanças aqui por Lisboa, sintam-se livres para avisar.

 

 Vou ali respirar fundo.

 

 

1 comentário

Comentar post